Termina obrigação de reter receita de ivermectina e nitazoxanida

A agência decidiu não mais exigir a retenção de receita para esses produtos

A Diretoria Colegiada da Anvisa acaba de revisar a regra para a exigência de retenção da receita na farmácia para os medicamentos Ivermectina e Nitazoxanida. A agência decidiu não mais exigir a retenção de receita para esses produtos. A  ação faz parte do monitoramento constante de substâncias sujeitas a controle em virtude da emergência de saúde pública de importância internacional relacionada ao novo coronavírus. Mesmo sem estudos científicos conclusivos, os medicamentos começaram a ser mais procurados no mercado devido às informações de que teriam resultado satisfatório para o tratamento de Covid-19. Diante da preocupação de desabastecimento no mercado, a Anvisa incluiu os produtos  numa resolução com regras de controle específicas para garantir maior controle desse uso.
De acordo com o diretor da Anvisa Marcus Aurélio Miranda de Araújo, a fim de garantir a manutenção dos estoques para os pacientes que possuem indicações médicas para uso desses  produtos,  foi publicada a Resolução da Diretoria Colegiada  405 de 22 de julho, estabelecendo principalmente a necessidade de retenção de receita. “Ambos produtos são sob prescrição médica. A única  inovação da 405 seria a retenção dessa prescrição médica”, explicou.

Ivermectina e nitazoxanida

A resolução 405 definiu como obrigatória a prescrição em receituário branco comum, em duas vias. Como isso, cada uma das vias ficava retida na farmácia ou drogaria e a outra era entregue ao paciente. Mas a Anvisa avaliou sobre a necessidade de suspensão da medida. “O controle feito por meio de retenção de receita pode dificultar o acesso da população ao tratamento de verminoses e parasitoses; bastante conhecidas e bem significativas em regiões com problemas básicos de higiene e saneamento”, declarou o diretor.
Conforme Marcus Aurélio Miranda de Araújo, a Ivermectina faz parte inclusive da relação nacional de medicamentos essenciais – Rename. “Nesse contexto a sociedade tem nos relatado a dificuldade na realização de consultas médicas presenciais neste momento de pandemia e, por conseguinte, a aquisição desses pacientes por pacientes para uso estabelecido em bula.  Além disso atualmente conforme averiguado e junto à área técnica responsável e junto aos fabricantes não mais se verifica o risco de desabastecimento para esses medicamentos”, ressaltou.
Com a atualização da RDC 405 Ivermectina e Nitazoxanida passam a ser vendidas com apenas uma receita. A decisão passou a valer a partir da publicação no Diário Oficial da União, realizada na quarta-feira, 02/09. Confira: https://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-de-diretoria-colegiada-rdc-n-420-de-1-de-setembro-de-2020-275243243

Foto: Shutterstock

Fonte: Comunicação do CFF

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário