Transmissão de Covid-19 no Brasil é a menor desde abril de 2020

O índice de 0,60 sugere que a propagação do vírus está em declínio, mas cada 100 brasileiros contaminam outras 60 pessoas, indica o Imperial College de Londres

A taxa de transmissão (Rt) do Sars-CoV2 da Covid-19 no Brasil é a menor registrada desde abril do ano passado, quando começou a ser aferida, de acordo com levantamento do Imperial College de Londres.

O índice de 0,60, anunciado na última terça (12), indica que cem pessoas contaminadas transmitem a doença para outras sessenta.

E reverte a tendência de alta observada há duas semanas, quando chegou a 1,04.

De acordo com a margem de erro calculada pela universidade britânica, a taxa brasileira atual pode variar de 0,24 a 0,79. Quando está abaixo de 1 a taxa indica que a propagação do vírus está em declínio.

O oposto ocorre, então, quando ela está acima de 1, indicando aumento.

A saber, a Rt é considerada uma das principais referências da evolução da pandemia de Covid-19.

No entanto, por ser uma média nacional, pode não ser muito fiel às realidades locais.

Transmissão da Covid-19

O levantamento estima que o Brasil deve registrar cerca de 1.600 mortes nesta semana.

Podendo, então, variar de 942 a 1.820.

Ou seja,- um pouco menos do que foi registrado na semana passada, 1.636.

Até a última segunda-feira, foram registrados 237 milhões de casos de Covid-19 em todo o mundo, e 4,84 milhões de mortes.

Brasil atingiu 600 mil mortes no dia 8

Na última sexta-feira, dia 8, o Brasil atingiu a marca de 600 mil mortos pela Covid-19.

Trata-se de um número maior do que as populações de sete capitais do País, entre elas, Florianópolis e Vitória.

O avanço da vacinação e a queda do número de infectados indica uma sensação de que o pior da pandemia já foi superado.

Todavia, especialistas reforçam que o patamar de vítimas ainda é alto:

Perto de 500 pessoas por dia e que são necessárias doses de reforço e atenção também com as sequelas provocadas pelo vírus.

O balanço mais recente indica que são 601.266 mortes no País.

O indicativo de avanço da vacinação fica claro com os números, afinal, o País se aproxima de marcas importantes:

São quase 100 milhões de pessoas totalmente imunizadas (com dose única ou duas doses) e quase 150 milhões de brasileiros parcialmente imunizados.

Relatório do Observatório da Covid-19, da Fundação Oswvaldo Cruz (Fiocruz), indica que o fim da crise sanitária deve ocorrer nos primeiros meses do ano que vem.

Embora especialistas divergem sobre o prazo.

“O fim da pandemia não representará o fim da ‘convivência’ com a Covid-19, que deverá se manter como doença endêmica e passível de surtos mais localizados”, afirma o texto da instituição.

Fonte: Estadão

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário