fbpx

Três etapas sobre a atuação do farmacêutico na dispensação de cannabis

Somente o farmacêutico que atua em farmácias, como responsável ou assistente técnico, poderá realizar a dispensação de cannabis

A Resolução do CFF nº 680, de 20 de fevereiro de 2020, regulamenta a atuação do farmacêutico na dispensação de medicamentos e produtos à base de cannabis medicinal.

Já a RDC nº 327/2019, publicada pela Anvisa, determina que só esse profissional pode assumir a atribuição.

Confira quais são as três etapas fundamentais para realizar esse trabalho

1 – A escrituração da movimentação dos produtos de cannabis medicinal em farmácias deverá ser realizada por meio do Sistema Nacional de Gerenciamento de Produtos Controlados (SNGPC), conforme a RDC nº 22/2014.

2 – No folheto informativo (material impresso que acompanha os produtos de cannabis medicinal, contendo informações de composição e uso para instruir o paciente), devem constar diversas advertências em negrito. Uma das orientações é: “Este produto não possui os estudos clínicos completos que comprovam a sua eficácia e segurança”

3 – No ato da dispensação, o farmacêutico deve avaliar a prescrição e informar, por escrito ou verbalmente, ao paciente e/ou a seu cuidador, sobre sua utilização racional.

A importância do farmacêutico na venda de cannabis medicinal

Somente o farmacêutico que atua em farmácias, como responsável ou assistente técnico, poderá realizar a dispensação do produto, desde que as regras descritas na referida norma sanitária sejam atendidas.

 

Cannabis medicinal abre oportunidades para pequenos negócios 

HempMeds Brasil mostra como prescrever Cannabis medicinal 

Anvisa aprova duas consultas públicas para Cannabis medicinal 

Fonte: Assistência Farmacêutica Avançada

Foto: Shutterstock

Deixe um comentário