fbpx

Unilever alcança 50% de representatividade feminina em cargos gerenciais em suas operações globais

No mês em que celebramos o dia internacional da mulher, companhia é reconhecida pelo Catalyst Awards 2020 por acelerar o progresso das mulheres no ambiente de trabalho

A Unilever alcançou, globalmente, o equilíbrio de gêneros um ano antes do prazo estabelecido e comemora, na semana em que é celebrado o Dia Internacional da Mulher, ter avançado de modo consistente, em representatividade feminina. As mulheres agora estão presentes em 50% dos cargos de gerência da companhia em toda a operação global. Em 2010, esse percentual era de 38%. A Unilever recebeu o prêmio Catalyst Awards 2020 que, desde 1987, reconhece boas práticas empresariais.

A companhia fez progressos significativos em áreas nas quais as mulheres têm, historicamente, menos participação. O salto em representatividade feminina se deu em Supply Chain (cadeia de suprimentos), onde a presença masculina sempre foi maior do que a feminina. Agora, as mulheres preenchem 40% dos cargos gerenciais da área. Outros avanços se deram em Finanças (50%), Operações e Tecnologia (47%).

O equilíbrio entre gêneros é um compromisso global da companhia, que colocou em prática diversas ações para conseguir chegar a esse resultado. Há um Comitê de Diversidade e Inclusão – responsável por implantar diversas iniciativas locais – que segue diretrizes do Conselho Global de Diversidade, uma rede composta por aproximadamente 100 pessoas que são no tema e são capazes de influenciar uma cultura mais inclusiva entre os mercados.

Representatividade feminina na Unilever

Para conseguir impulsionar a participação feminina no ambiente de trabalho, a Unilever incentiva a equidade de gênero no processo seletivo; pratica metas ambiciosas de Diversidade e Inclusão e também monitora a nomeação de líderes mulheres pela companhia. Políticas de gestão de pessoas mais flexíveis, como home office e job sharing, por exemplo, contribuem para aumentar a presença feminina no ambiente corporativo.

A Unilever é parceira da ONU Mulheres na Unstereotype Alliance, ou Aliança sem Estereótipo, iniciativa criada com o objetivo de eliminar estereótipos nocivos no local de trabalho e em toda a indústria publicitária. O Brasil foi o primeiro país a dar corpo e voz ao movimento na América Latina.

Para a vice-presidente de Recursos Humanos da Unilever Brasil, Luciana Paganato, todos os indivíduos devem ter acesso a oportunidades de desenvolvimento e reconhecimento de maneira igualitária, e a adoção de políticas internas têm o papel de provocar essa transformação. “Desenvolver uma agenda de diversidade e inclusão é um trabalho constante. As mulheres são a maioria do nosso público consumidor e o que alcançamos é prova do trabalho de milhares de pessoas capazes de liberar totalmente seu potencial, porque se sentem valorizadas e incluídas”.

“Atingir a igualdade para as mulheres é o maior desbloqueio para o desenvolvimento social e econômico em todo o mundo. Ter uma força de trabalho com equilíbrio de gênero deve ser um dado real, não algo que desejamos apenas. Temos muito orgulho de termos alcançado nosso objetivo de representação igual de homens e mulheres entre nossos 14 mil gerentes. Porém, nosso trabalho não para por aqui. Continuaremos a lutar em prol da igualdade de oportunidades para mulheres e outros grupos, tanto dentro como fora da empresa”, diz o CEO Global da Unilever, Alan Jope.

 

Unilever Brasil comemora 90 anos no Brasil com promoção
Foto: Shutterstock

Fonte: Unilever

 

 

Deixe um comentário