Veja quais medicamentos já foram testados contra o coronavírus

Após um ano de pandemia vários medicamentos têm sido testados para atender à necessidade de tratamento para os casos da doença

Pouco menos de um ano desde que o coronavírus foi declaradauma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 11 de março de 2020, não há tratamento 100% viável para tratar casos graves e com risco de vida.

Embora o fornecimento de vacinas para gerar resistência imunológica tenha crescido, vários medicamentos têm tentado atender à necessidade de tratamento para os casos existentes.

Medicamentos como dexametasona, hidroxicloriquina e remdisivir tentaram fazer isso, com vários graus de sucesso e insucessos.

O uso de dexametasona, usado como um antiinflamatório e imunossupressor para o tratamento de doenças autoimunes, como a artrite reumatóide por exemplo, é recomendado para o tratamento contra Covid-19.

Conclusões preliminares da OMS, publicadas em outubro de 2020, indicam que é eficaz na redução da mortalidade em até um terço em pacientes com ventilação assistida.

O caso oposto é o da hidroxicloroquina, um medicamento projetado para o tratamento da malária e da malária.

Medicamentos testados contra o coronavírus ainda são incertos

No último relatório da OMS sobre o assunto, afirma-se que não há benefícios substanciais desse medicamento como terapia contra o Covid-19.

E mais, aponta os efeitos colaterais potencialmente perigosos para pacientes com esta doença.

A viabilidade do remdisivir, originalmente desenvolvido para hepatite C, como um tratamento antiviral para Covid-19 ainda é incerta.

Embora cerca de 50 agências nacionais, incluindo a Comissão Federal para a Proteção contra Riscos Sanitários (Cofepris) no México, tenham aprovado seu uso de emergência, a OMS emitiu uma recomendação condicional para não fazê-lo.

Parte do estudo Solidarity, lançado pela OMS, com 7 mil pacientes mostraram que esse medicamento não tem efeito significativo sobre a mortalidade e gravidade da doença.

Em 2 de março de 2021, a empresa francesa de biotecnologia Abivax anunciou que iniciará a fase de pesquisa clínica de um novo medicamento conhecido como ABX464.

Este medicamento com ação antiviral, antiinflamatória e reparadora de tecidos tem, no entanto, comprovado sua eficácia no tratamento de inflamações causadas pela colite ulcerosa.

Por meio do estudo miR-AGE eles avaliarão a viabilidade do ABX464 como um tratamento antiinflamatório em pacientes graves com Covid-19.

Infectados

Desde sua aparição em Wuhan no final de 2019, a Covid-19 já infectou mais de 114 bilhões de pessoas.

E fez 2.544.000 vidas em todo o mundo, de acordo com números da Universidade Johns Hopkins.

Com esforços globais voltados para a prevenção e imunização contra o vírus, existem, então, relativamente poucas opções farmacológicas para pacientes já infectados.

Porém, ainda é necessário encontrar soluções voltadas para a melhoria das taxas de recuperação desses pacientes, bem como das internações.

Fonte: IstoéDinheiro

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário