Venda de genéricos cresce mais de 7% em ano de pandemia

De janeiro a setembro deste ano, a compra de genéricos aumentou 7,55% em relação ao mesmo período de 2019 devido a pandemia

Em ano de pandemia e crise econômica, economizar com a compra de medicamentos é fundamental. Segundo a Associação Brasileira das Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), de janeiro a setembro deste ano, a compra de medicamentos genéricos aumentou 7,55% em relação ao mesmo período do ano passado.

O movimento pode ser explicado pelo fato de que, por lei, os genéricos devem ser pelo menos 35% mais baratos que os chamados medicamentos de referência, o que torna a diferença significativa no bolso.

Implementada em 1999, a Lei dos Genéricos tem como objetivo estimular a concorrência entre os laboratórios e farmacêuticas, fazendo com que os remédios cheguem ao consumidor com preço mais baixo e, contudo, com a mesma qualidade.

Consumo de genéricos na pandemia

Todavia, para ser vendidos, esses medicamentos precisam ser testados e aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Com a concorrência, os preços podem variar muito entre medicamentos com o mesmo princípio ativo, mas de diferentes laboratórios. Por isso, para conseguir o preço mais baixo é importante, no entanto, pesquisar.

Assim, os genéricos podem ser identificados pela tarja amarela na qual se lê “Medicamento Genérico”.

Além disso, deve constar na embalagem a frase “Medicamento Genérico Lei nº 9.787, de 1999”.

Como os genéricos não têm marca, o que se lê na embalagem é o princípio ativo do medicamento.

Preço dos medicamentos genéricos tem aumento de 12% para 13,3% de ICMS 

Fonte: Globo online

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário