fbpx

Venda de itens de higiene e beleza melhora os resultados de drogarias

Setor registrou alta média de 13,7% na saída dessas mercadorias em 2015, frente a 2014

Os varejistas do setor farmacêutico têm apostado justamente em produtos que não são medicamentos para ampliar seus resultados. A estratégia visa aproveitar o aumento, em média, de 13,7% nas vendas de itens de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos (HPC), em farmácias e drogarias no ano passado, em comparação com 2014.

Para os empresários que atuam no setor, a alta é consequência de uma mudança de hábito do consumidor, que está migrando as compras de itens de perfumaria para as farmácias. “O brasileiro, de um modo geral, mudou seus hábitos de compra no que se refere à higiene e beleza. Passou a realizar as suas compras em drogarias, que oferecem uma maior variedade de itens e um acompanhamento dos funcionários”, diz o diretor de marketing do Grupo DPSP, Roberto Tamaso.

A venda de não medicamentos nas lojas farmacêuticas brasileiras somou R$ 12 milhões em 2015, segundo a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma). No ano anterior, a receita total destes itens foi de R$ 10,6 milhões. De acordo com a entidade, o crescimento também ficou acima do verificado no setor como um todo – somando as vendas de todos os produtos, incluindo medicamentos e não medicamentos, que registrou alta de 12% em 2015, em relação a 2014.

Foto: Shutterstock

 

 

Deixe um comentário