fbpx

Venda de medicamentos on-line cresce 62% em 2018

Pesquisa da Consulta Remédios indica, ainda, que volume de intenção de compra alcançou R$ 2,34 bi

O mercado de venda de medicamentos on-line no Brasil cresceu 62,53% em 2018 em relação a 2017. Segundo levantamento da Consulta Remédios – plataforma de comparação de preços de medicamentos e de monitoramento do setor farmacêutico – o volume de intenção de compra de janeiro a dezembro de 2018 alcançou os R$ 2,34 bilhões. Em 2017, o volume foi de R$ 1,44 bilhão.

Já o crescimento no semestre foi de 47,3%. No período de janeiro a junho de 2018, o volume de intenção de compra de medicamentos foi de R$ 948 milhões. No segundo semestre (julho a dezembro), o volume registrado foi de R$ 1,36 bilhão. “Os consumidores brasileiros estão aprendendo a comprar medicamentos on-line, onde há abrangência de medicamentos de uso crônico e de valor mais elevado, o que faz consumidor pesquisar mais, pois pode programar melhor a compra e ficar mais atento às diferenças nos preços praticados”, explica o coordenador da pesquisa e CEO da Consulta Remédios, Paulo Daniel Vion.

Veja Mais

Os números foram calculados com base nas buscas de 116 milhões de consumidores de todo o País e levam em conta a “intenção de compra”, variável que indica o propósito do consumidor em adquirir determinado produto quando direcionado a uma loja on-line. “Este índice serve para entender o comportamento do consumidor e mede a elasticidade dos preços. É usado pelas empresas para traçar estratégias comerciais e ajuda a determinar o preço considerado ideal para um certo produto ou serviço”, afirma Vion.

Outubro registrou maior intenção de compras de medicamentos on-line

Do total levantado pelo Consulta Remédios, de janeiro a dezembro de 2018, outubro foi o mês de maior volume financeiro no varejo farmacêutico. O décimo mês de 2018 registrou um total de R$ 332 milhões em intenção de compra de medicamentos on-line, um crescimento de 166,19% com relação a outubro de 2017. Na outra ponta, fevereiro – mês mais curto do ano – foi o que registrou o menor volume financeiro, com R$ 124,9 milhões. Ainda assim, teve variação de 43% com relação ao mesmo mês de 2017.

Fonte: Guia da Farmácia

Foto Shutterstock

Consumo de medicamentos por paulistas é de uma caixa e meia por mês

Deixe um comentário