HPC

Vendas do setor de HPC permanecem estáveis no 1º trimestre de 2021

Essencial para o combate à Covid-19, a indústria de HPC demonstra resiliência e compromisso com o País, apresentando crescimento de empregos diretos

A indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPC) manteve performance estável nas vendas no consolidado de janeiro a março de 2021, em comparação ao mesmo período de 2020.

De acordo com o Painel Dados de Mercado da Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (Abihpec), o setor apresentou retração de 1% em vendas ex-factory.

Em comparação com o primeiro trimestre do ano passado, produtos de Higiene Pessoal seguem com alta de 6%.

Reflexo, portanto, do consumo de itens como o álcool em gel e sabonetes nas versões em barra e líquida.

Itens, portanto, essenciais para o combate à pandemia.

Destaque das vendas de HPC

O destaque fica para a perfumaria, que mantém o crescimento de dois dígitos, com alta de aproximadamente 11%.

Deixando, então, clara a cultura do brasileiro de perfumar-se para bem-estar próprio, independentemente de sua rotina estar atrelada ou não à interação social.

Os segmentos que apresentaram desempenho negativo foram os de cosméticos (14,8%) e Tissue (-17,9%). 

 A retração para os cosméticos deve-se à redução do consumo de categorias como maquiagem e coloração capilar.

Matéria-prima

No caso de Tissue, contudo, a queda está mais relacionada ao aumento de preços repassados pelos fabricantes ao varejo desde o início do ano.

Isto se deu em consequência da alta do câmbio e seu reflexo também no custo da matéria-prima.

“Esses números mostram que, mesmo com a pandemia, o consumidor não deixou de comprar os produtos do setor. E que a indústria tem trabalhado com agilidade para oferecer itens mais acessíveis, com alta tecnologia e inovação, para atender as demandas dos brasileiros”, diz o presidente-executivo da Abihpec, João Carlos Basilio.

Relevância nacional

Todavia, o setor de HPPC fechou 2020 com crescimento em vendas ex-factory de 5,8% período em que, mesmo diante de tanta complexidade, o setor aumentou em 2,1% a geração de empregos na indústria.

 Apesar do resultado positivo no período, outros elos da cadeia de valor do setor enfrentaram dificuldades.

Como por exemplo, franquias, vendas diretas e, principalmente, os salões de beleza e barbearias.

As normas de isolamento social resultaram, todavia, em redução de 1,6 milhão de oportunidades de trabalho no setor como um todo.

Empreendedorismo

empreendedorismo é mais um dos destaques do setorEm 2020 houve um aumento de 7% no número de empresas de HPPC, totalizando 3.148 de companhias distribuídas por todo país.

Para o presidente-executivo da Abihpec, apesar dos números positivos e do grande aprendizado obtido ao longo de 2020, o contexto econômico do país exige muita cautela.

“Atualmente as nossas preocupações estão voltadas para dois aspectos: o controle da pandemia, para viabilizar o restabelecimento completo das atividades de canais de vendas e também prestação de serviços presenciais, e a contenção da inflação, que está subindo de forma acelerada, o que consideramos um sinal extremamente alarmante”, reforça Basilio.

Dessa maneira, historicamente o setor vem consolidando sua importância para a economia brasileira, apesar dos muitos desafios.

“Nos últimos dez anos, foi registrado um crescimento de 1,7%, número positivo se comparado à queda de 0,3% do PIB e de 2,1% da indústria em geral nesse mesmo período”, explica Basilio.

Consumo de cosméticos cresceu durante a pandemia 

Fonte: Abihpec

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário