fbpx

Vendas para o Natal podem crescer até 5% em São Paulo

Tíquete médio no Natal pode variar entre R$ 150,00 e R$ 300,00; Vestuário e eletrônicos estão entre os setores preferidos dos consumidores

Com o faturamento de R$ 3,2 bilhões, a Black Friday foi um sucesso no varejo nacional, segundo o fechamento da Ebit, e as expectativas positivas para o aumento de vendas até o final do ano não param por aí. De acordo com uma pesquisa realizada pela Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP), o crescimento das vendas para o Natal pode chegar em até 5%.

Para os lojistas, os consumidores devem utilizar o 13º. Assim, servindo como um aporte financeiro para as compras, possibilitando no crescimento das vendas de presentes para familiares, amigos ou colegas de trabalho.

“O Natal ocupa o lugar mais alto do podium, quando comparadas as datas mais importantes do segundo semestre para o varejo. Essa época permite que os lojistas prolonguem o horário de funcionamento das lojas. Desse modo, influenciando o consumo”, explica o presidente da FCDLESP, Maurício Stainoff. Além disso, o tíquete médio de compra pode variar entre R$ 150,00 e R$ 300,00, com destaque para os setores de vestuário, eletrônicos, seguido de cosméticos, segundo dados da pesquisa da entidade.

Vendas no Natal

A pesquisa foi realizada com a participação das principais câmeras de dirigentes logísticas (CDL) do Estado de São Paulo, que enviaram dados locais, com expectativas do crescimento das vendas e os segmentos que podem ser mais beneficiados.

No Grande ABC Paulista, o crescimento esperado para as vendas pode ser de até 5%. “Vestuário, calçados e cosméticos devem ser os setores preferidos entre os consumidores para as compras de Natal”, comenta o presidente da CDL de Mauá, Josué Bueno. O tíquete médio para a região pode variar entre R$ 300,00 e R$ 500,00, de acordo com a CDL de São Bernardo do Campo.

Para a Baixada Santista é esperado um crescimento de até 5%, com tíquete médio de R$ 150,00 a R$ 300,00. De acordo o presidente da CDL do Guarujá, parte do 13º será utilizado para quitar as dívidas. Assim, gerando crédito para os consumidores realizarem as compras.

Para a CDL de Pederneiras, região próxima a Bauru, a expectativa de vendas é de até 2%. Vestuário, cosméticos e restaurantes podem ser as categorias favoritas entre os consumidores.

Já a CDL de Santa Rosa de Viterbo, localizada na região metropolitana de Ribeirão Preto, prevê um crescimento nas vendas de até 5%.

Foto: Shutterstock

Fonte: FCDLESP

 



Deixe um comentário