fbpx

Vitamina D da Stem Pharmaceutical não deve ser consumida

Análises laboratoriais demonstraram que o produto vitamina D da Stem continha mais de 600 vezes que limite máximo permitido

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu um alerta do Centro Estadual de vigilância em Saúde do Estado do Rio Grande do Sul  e o comunicado de recolhimento voluntário da empresa fabricante, a Stem Pharmaceutical Suplementos Alimentares Ltda (CNPJ 04.056.093/0001-27), sobre a produção de um único lote de um Suplemento alimentar de Vitamina D em comprimidos com teores de vitamina D acima do permitido na legislação sanitária:

– Lote 19001

– tamanho do lote: 1600 frascos

– Conteúdo líquido: 30 comprimidos

– Forma de apresentação: comprimidos revestidos / 2.000 UI por comprimido

– Data de fabricação 09/2019

– Prazo de validade 09/2021

Análises laboratoriais realizadas pela própria empresa, após o recebimento de queixas de consumidores, demonstraram que o produto continha mais de 600 vezes o limite máximo permitido para vitamina D na Instrução Normativa n. 28, de 2018. 

Tendo em vista os riscos à saúde envolvidos, principalmente de hipercalemia e sintomas relacionados como náuseas, vômitos, fraqueza e complicações renais, a Anvisa alerta que o produto não deve ser consumido. 

A empresa já está iniciando os procedimentos de recolhimento do produto, conforme determina a Resolução RDC n. 24/2015 e a Anvisa acompanha a operação.

O que o consumidor deve fazer?

Entre em contato com a empresa, por meio dos canais de Serviço de Atendimento ao Consumidor Stem Pharmaceutical:

Telefone: (51) 3367-4033

E-mail: sac@stem.com.br

Foto: Shutterstock

Fonte: ASCOM/Anvisa

Deixe um comentário