Vitamina D da Stem Pharmaceutical não deve ser consumida

Análises laboratoriais demonstraram que o produto vitamina D da Stem continha mais de 600 vezes que limite máximo permitido

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) recebeu um alerta do Centro Estadual de vigilância em Saúde do Estado do Rio Grande do Sul  e o comunicado de recolhimento voluntário da empresa fabricante, a Stem Pharmaceutical Suplementos Alimentares Ltda (CNPJ 04.056.093/0001-27), sobre a produção de um único lote de um Suplemento alimentar de Vitamina D em comprimidos com teores de vitamina D acima do permitido na legislação sanitária:

– Lote 19001

– tamanho do lote: 1600 frascos

– Conteúdo líquido: 30 comprimidos

– Forma de apresentação: comprimidos revestidos / 2.000 UI por comprimido

– Data de fabricação 09/2019

– Prazo de validade 09/2021

Análises laboratoriais realizadas pela própria empresa, após o recebimento de queixas de consumidores, demonstraram que o produto continha mais de 600 vezes o limite máximo permitido para vitamina D na Instrução Normativa n. 28, de 2018. 

Tendo em vista os riscos à saúde envolvidos, principalmente de hipercalemia e sintomas relacionados como náuseas, vômitos, fraqueza e complicações renais, a Anvisa alerta que o produto não deve ser consumido. 

A empresa já está iniciando os procedimentos de recolhimento do produto, conforme determina a Resolução RDC n. 24/2015 e a Anvisa acompanha a operação.

O que o consumidor deve fazer?

Entre em contato com a empresa, por meio dos canais de Serviço de Atendimento ao Consumidor Stem Pharmaceutical:

Telefone: (51) 3367-4033

E-mail: sac@stem.com.br

Foto: Shutterstock

Fonte: ASCOM/Anvisa

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário