fbpx

Curativos: primeiros socorros para todos

Curativos e Medicamentos Isentos de Prescrição são os protagonistas de kits feitos pelos pacientes que querem se cuidar em pequenos acidentes que podem acontecer no dia a dia

Ninguém está livre de sofrer pequenos acidentes, como arranhões, queimaduras, cortes ou contusões. Quando isso acontece, dificilmente um paciente vai até um médico, já que, na grande maioria dos casos, é possível se cuidar dentro de casa.

Nessas situações, é essencial ter os famosos “kit farmácia” ou “kit de primeiros socorros”. O conjunto de Medicamentos Isentos de Prescrição (MIPs) e outros produtos, como curativos e gases, é importante para que o paciente possa ter à mão tudo o que precisa para se proteger.

Veja Mais

“Os itens para pronto atendimento ou home care são aqueles destinados a pequenos ferimentos ou acidentes, como pancadas que causam dor, como esparadrapo, compressas, ataduras, curativos antissépticos, solução antisséptica, aerossol para pancadas (arnica e associações), entre outros medicamentos”, cita o presidente da Sanfarma, Luciano Biagi.

Ranking TOP 10

  1. Band Aid (J&J)
  2. Cremer (Cremer)
  3. Nexcare (3M)
  4. Cicatrisan (Sanfarma)
  5. Tegaderm (3M)
  6. Ever Care (Flexicotton)
  7. Concare (Mcg)
  8. Triane (Assifarma)
  9. Bellacotton (Flexicotton)
  10. Granado (Granado)

Fonte: IQVIA – MAT* maio 2019 (Preço Consumidor)
*MAT – Moving Annual Total (Movimento Anual Total, em português)

Ainda que os produtos sejam conhecidos de grande parte da população, existem inovações no mercado. No caso dos MIPs, a gestora de Negócios e Relacionamentos da Cifarma, Cristina Guimarães, cita a inclusão da arnica, bastante conhecida, na formulação de produtos para contusões, potencializando sua ação. Além disso, ativos que deem a sensação de “ice” proporcionam maior refrescância.

Já dentro do mix de curativos, a oferta é ainda maior. “Eles podem ser divididos por tamanho: pequenos, médios e grandes, dependendo da extensão da ferida. E também por tipo de curativo: à prova d´água, superflexíveis, Micropore, plástico para bolhas e decorados”, exemplifica o responsável pela comunicação e branding da divisão de Cuidados Pessoais da 3M, Emerson Mota.

Curativos: Dentro do canal farma

A representatividade da categoria de primeiros socorros em farmácias e drogarias depende muito do formato da loja. De acordo com Biagi, no caso dos curativos, esse número ainda é pequeno – porém, a rentabilidade é muito grande. Já os produtos que fazem parte dos MIPs possuem grande importância dentro das farmácias.

Para aumentar as vendas, diz Mota, é crucial trabalhar o mix de produtos, contemplando as diversas necessidades do cliente (diferentes tamanhos, localização e gravidade das feridas), e uma exposição de maneira adequada, ou seja, visando ao posicionamento de curativos nas prateleiras mais quentes da seção e seguindo a pirâmide de valor (privilegiar produtos premium que aumentam o tíquete médio da categoria).

Os principais cuidados

O kit de primeiros socorros ajuda em diversas situações cotidianas, como:

  • Queimaduras domésticas.
  • Contusões.
  • Pancadas.
  • Torcicolos.
  • Ferimentos leves.
  • Cortes leves.
  • Cuidado pós-cirúrgico.

Fontes: gestora de Negócios e Relacionamentos da Cifarma, Cristina Guimarães; responsável pela comunicação e branding da divisão de Cuidados Pessoais da 3M, Emerson Mota; e presidente da Sanfarma, Luciano Biagi

Além disso, é preciso entender a necessidade do consumidor: o ponto de venda (PDV) pode vender em caráter preventivo (para que tenha em casa os itens antes do ocorrido) ou para as trocas dos curativos.

A organização da loja também é essencial para aumentar as vendas. O consultor de varejo, Marco Quintarelli, explica que, por serem itens de compra quase que emergencial, a melhor maneira é a exposição destacada, com pontos extras divididos por categorias.

“A exposição é um ponto essencial para educar o consumidor a entender a diferenciação e o valor dos produtos mais inovadores. A tendência dos consumidores é ir para os itens mais comuns por não conhecerem bem a categoria. Uma vez que é apresentada alguma diferenciação (prova d’água, flexível, permite a pele transpirar), o consumidor, em geral, aceita e realiza o trade up na categoria”, finaliza Mota.

Foto: Shutterstock

O que está por vir?

Edição 322 - 2019-09-09 O que está por vir?

Essa matéria faz parte da Edição 322 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Guia da Farmácia

Premiado pela Anatec na categoria de mídia segmentada do ano, o Guia da Farmácia é hoje a publicação mais conhecida e lembrada pelos profissionais do varejo farmacêutico. Seu conteúdo diferenciado traz informações sobre os principais assuntos, produtos, empresas, tendências e eventos que permeiam o setor, além de Suplementos Especiais temáticos e da Lista de Preços mais completa do mercado.