Três estados brasileiros estão em alerta para a febra amarela

Vacina é a única maneira de prevenir surto

O Brasil está em um dos seus maiores surtos de febre amarela silvestre das últimas décadas, segundo informa o Ministério da Saúde (MS). Por isso, o governo decidiu fazer uma campanha emergencial de vacinação nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia, entre janeiro e março.

A preocupação não é à toa. No primeiro semestre de 2017, foram confirmados 777 casos em 21 estados e no Distrito Federal. No segundo, foram 35 em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Minas Gerais e no Distrito Federal – 145 ainda estão em investigação.

A febre amarela causa sintomas como dor de cabeça, febre baixa, fraqueza e vômitos, dores musculares e nas articulações. Em sua fase mais grave, pode causar inflamação no fígado e nos rins, sangramentos na pele e pode até levar à morte.

A vacinação

Nem todas as pessoas podem ser imunizadas. É o caso de gestantes, idosos, pessoas em quimioterapia e determinados tratamentos de saúde, por causa dos riscos de reações graves.

Essas pessoas devem ser orientadas a evitar picadas de mosquitos por meio do uso de camisas de mangas longas e calças compridas, mosquiteiros e repelentes. As grávidas e mães de recém-nascidos devem buscar orientação sobre possíveis reações alérgicas.

Todos os indivíduos não pertencentes aos grupos citados e que vivem em área de risco para a doença, conforme determinado pela Secretaria de Saúde de cada estado, devem procurar postos de saúde para tomar a vacina. Quem viaja para essas regiões também precisa se imunizar. Nesse caso, a dose deve ser aplicada no mínimo dez dias antes.

A imunização pode acontecer, também, em farmácias que ofereçam o serviço. Nesse caso, a pessoa deverá pagar pela imunização. Entre os dias 29 de janeiro e 9 de março, os estados de São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia realizarão uma campanha de vacinação fracionada – o que significa que a dose para febre amarela, de 5 mg, será dividida em cinco partes para ser aplicada em mais pacientes. A eficácia não fica prejudicada, apenas o tempo de imunidade reduz.

Fonte: G1
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário