Vírus da zika consegue ultrapassar a placenta na gestação, confirma análise

Testes moleculares identificaram o genoma do vírus da zika em células de mãe e embrião

Uma pesquisa inédita feita pelo Instituto Carlos Chagas, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), confirmou que o vírus da zika é capaz de atravessar a placenta durante a gestação. A análise foi feita a partir de amostras de uma paciente do Nordeste que sofreu um aborto retido – quando o feto deixa de se desenvolver dentro do útero – durante o primeiro trimestre de gravidez. A suspeita surgiu após a gestante informar ter tido sintomas de zika, como manchas vermelhas no corpo, na sexta semana de gravidez.

A partir daí, amostras da placenta passaram por exames de imuno histoquímica, capazes de verificar a infecção por vírus do mesmo gênero do vírus da zika. Em seguida, foram feitos testes moleculares que identificaram o genoma do vírus da zika em células da mãe e do embrião.

Segundo a virologista que participou da análise, Dra. Cláudia Nunes Duarte dos Santos, o achado confirma a transmissão do vírus via placenta. “É muito grave, e confirma a nossa suspeita. É a primeira vez que vemos o RNA [do vírus da zika]no tecido da placenta”, diz a pesquisadora.

Fonte: Folha On-Line – SP
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário