Anvisa abre investigação e suspende a importação e uso da proxalutamida

O objetivo da Anvisa é o de saber mais informações acerca dos produtos à base de proxalutamida importados e utilizados no Brasil para a tomada de ações sanitárias, a fim de mitigar o risco para os usuários desses produtos

O colegiado da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) foi unânime na decisão referente à suspensão cautelar da importação e uso de produtos contendo a substância proxalutamida para fins de pesquisa científica envolvendo seres humanos no Brasil.

A saber, o medicamento foi exaltado pelo presidente Jair Bolsonaro no tratamento da Covid-19, em julho, ao receber alta do hospital, em São Paulo.

Além de suspender o uso e a importação do medicamento, a Diretoria Colegiada da Anvisa mandou que Gerência Geral de Inspeção e Fiscalização Sanitária (GGFIS) instaure dossiê de investigação.

O objetivo é o de saber mais informações acerca dos produtos à base de proxalutamida importados e utilizados no Brasil para a tomada de ações sanitárias.

A fim, então, de mitigar o risco para os usuários desses produtos.

A Gerência de Fiscalização Sanitária deverá também notificar os serviços de saúde envolvidos na condução de pesquisas científicas com a substância proxalutamida no Brasil.

Em julho, a Anvisa autorizou o estudo sobre o medicamento sem eficácia comprovada.

A Gerência de Portos, Aeroportos, Fronteiras e Recintos Alfandegários precisa pedir a Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) para que informe, então, quais são as pesquisas aprovadas com o uso da substância proxalutamida no Brasil.

E, portanto, instaure um processo administrativo sanitário para apuração de possíveis infrações sanitárias decorrentes da apresentação, pelo importador, de documentos.

Ou também informações que tenham por objetivo induzir a Agência na anuência de importação irregular de medicamentos para uso em humanos.

Antibióticos entram na lista de importação extraordinária e temporária 

Fonte: CNN Brasil

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário