As principais características dos genéricos e similares

Consumidores ainda carregam dúvidas sobre denominações

Muitas pessoas ainda têm dúvidas sobre o medicamento genérico e similar. Por isso, é importante que a orientação sobre os produtos seja feita de maneira clara e assertiva. De acordo com a farmacêutica Mirna Alves Silva Pires, o genérico tem a mesma eficácia terapêutica do medicamento de referência. Ele é submetido a testes de bioequivalência e biodisponibilidade para verificar essa questão.

A profissional completa que, o que acontece é que os genéricos geralmente são produzidos após a quebra da patente ou de outros direitos de exclusividade. Após aprovação da comercialização – que é feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) – o medicamento fica à disposição do consumidor, geralmente a um custo menor.

Já o medicamento similar tem algumas diferenças com o medicamento de referência. Entre elas, as características relativas ao tamanho e forma do produto, prazo de validade, embalagem, rotulagem, excipientes e veículo (substâncias que completa a massa ou volume do medicamento).

“Desde 2003, os similares precisam apresentar testes de biodisponibilidade e equivalência farmacêutica para comprovar que o medicamento possui o mesmo comportamento no organismo e as mesmas características de qualidade do de referência”, explica Mirna.

Fonte: Sala de Notícias
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário