fbpx

Chega ao Brasil medicamento para combate a infecções fúngicas invasivas

A United Medical lança no Brasil uma molécula moderna, que confere maior segurança e eficácia ao tratamento das infecções fúngicas invasivas

Consideradas raras, mas prevalentes em grupos específicos de pacientes, as infecções fúngicas invasivas são um desafio para médicos no ambiente hospitalar. Elas podem ser fatais em até 96% dos casos se não tratadas adequadamente. Contudo, a partir de agora, médicos e pacientes brasileiros passam a contar com um novo antifúngico, desenvolvido para trazer segurança e eficácia.

O isavuconazol representa uma opção segura e eficaz no tratamento da Aspergilose Invasiva, causada pelos fungos dos gêneros Aspergilus, e da Mucormicose, causada pelos fungos dos gêneros Mucorales.

Veja Mais

Cresemba® está disponível nas apresentações intravenosa e oral, e apresenta maior espectro de ação e segurança, devido seu perfil farmacocinético previsível, em comparação às opções já presentes no Brasil.

O medicamento para tratar infecções fúngicas chega ao Brasil por meio da United Medical, companhia do Grupo Biotoscana. No mundo, ele já é aprovado nos EUA e na União Europeia, Jordânia, Argentina e Peru. “Cresemba® é um medicamento que atende a uma necessidade médica em pacientes com infecções fúngicas invasivas. Estamos muito satisfeitos por expandir nossa linha de antifúngicos, área que possuímos um histórico comprovado e bem-sucedido de apoio à classe médica,” disse o gerente-geral da United Medical no Brasil, Claudio Coracini.

Doenças raras

Embora pouco comuns, ambas as doenças alcançam prevalência significativa em grupos específicos de pacientes, como imunossuprimidos, transplantados ou aqueles convivendo com Imunodeficiência humana (HIV). Além destes, pacientes submetidos a transplante de medula óssea ou de órgãos sólidos, em quimioterapia e a tratamentos com corticoides precisam de atenção.

A aspergilose figura entre as infecções fúngicas mais comuns no ambiente hospitalar. No Brasil existem poucos dados disponíveis a respeito de sua incidência. Porém, a Agência Europeia de Medicamentos (órgão de saúde descentralizado da União Europeia) estima algo em torno de 20 casos a cada 100 mil pacientes para a aspergilose invasiva – apresentação mais agressiva da infecção – quando o fungo Aspergilus se espalha rapidamente pelos pulmões e, por vezes, atinge cérebro, coração, fígado ou rins via corrente sanguínea.

No caso da mucormicose, a prevalência alcança 0,6 caso a cada 100 mil pacientes e também pode se apresentar como infecções agressivas nos pulmões. Entretanto, outras manifestações possíveis do Mucorales são infecções nos seios da face, cérebro, olhos e aparelho gastrointestinal. A taxa de mortalidade da doença pode chegar a até 96%, dependendo do grau de imunossupressão do paciente.

Foto: Shutterstock
Fonte: Grupo Biotoscana

Deixe um comentário