fbpx

Coronavírus pode ser mais perigoso para gestantes ou para os fetos?

A ginecologista, Dra. Mariana Rosario, diz que grávidas devem evitar viagens para locais com possível contaminação pelo coronavírus porque estão naturalmente imunodeprimidas

O medo da contaminação pelo coronavírus chegou ao consultório da obstetra Mariana Rosario, membro do corpo clínico do hospital Albert Einstein e pesquisadora da Faculdade de Medicina do ABC. “Estou recebendo inúmeras mensagens de pacientes grávidas com bastante medo”, diz a médica. Segundo ela, as gestantes são, naturalmente imunodeprimidas, pela própria condição da gravidez.

Trata-se de um período em que o organismo fica propenso a adquirir doenças virais e bacteriológicas com mais facilidade e também não consegue combatê-las adequadamente. Como as gestantes não podem ser tratadas com medicamentos comuns, porque a maioria deles não foi testada nesta população, é difícil tratar algumas doenças sem causar mal ao bebê. Então, o melhor conselho é evitar a contaminação”, alerta a médica.

Segundo ela, viajar para locais propensos à epidemia é um risco para qualquer pessoa – mas, potencializado as gestantes. “Também é preciso evitar contato com casos suspeitos e usar máscara, caso se trabalhe em contato com doentes”, diz ela.

Em relação ao feto, não existem evidências de que o coronavírus causaria alguma malformação nele. “Mas, é importante que a gestante seja protegida”, diz a médica.

Também não vale se automedicar, nem com suplementos vitamínicos. “A gestante só pode consumir suplementos e medicamentos sob restrita orientação médica, porque podem ter problemas graves”, aconselha. E, em casos de suspeita de qualquer doença ou contaminação, é imprescindível procurar um serviço de saúde, imediatamente.

Vacina contra o sarampo: cuidados e orientações na gravidez
 

Foto: Shutterstock
Fonte: Dra. Mariana Rosario

 

Deixe um comentário