fbpx

Dia Mundial da Contracepção aborda o tema para mulheres diabéticas

O objetivo é desmitificar o uso do contraceptivo para essa população e motivá-las a buscar orientação profissional ainda mais nesse momento de pandemia

Movimento Divabética promove amanhã, dia 26 de setembro, em parceria com a Bayer, Campanha de Conscientização do Dia Mundial da Contracepção.

Fabiana Couto, fundadora do Movimento Divabética, aponta que “as mulheres com a condição geralmente são desencorajadas a utilizar o contraceptivo, pois o ginecologista pode ter receio de que o hormônio do medicamento possa interferir na saúde delas e levá-las a desenvolver as complicações do diabetes mais cedo“.

Segundo ela, atualmente temos opções de contraceptivos mais seguros para a mulher com diabetes e que possibilitam o planejamento familiar.

Estudo 

Dados do estudo ‘Nascer no Brasil: Inquérito sobre Parto e Nascimento’ da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), com uma amostra de 24 mil mulheres, de 191 municípios, publicados em 2012, indicam que 55% das brasileiras, que dão à luz não planejam a gravidez. 

Outro estudo publicado em 2018 mostrou que somente 37,6% das mulheres com diabetes usam métodos contraceptivos altamente eficazes, contra 28,8% que não usam.

Sabe-se, no entanto, que gravidez não planejada e gestações repetidas subsequentes resultam em maiores taxas de depressão materna, baixo peso ao nascer do recém-nascido e baixas taxas de amamentação.

Além de complicações durante a gravidez, entre outras questões.

Para as mulheres com diabetes, por exemplo, as complicações são ainda mais presentes pela necessidade de um controle das taxas glicêmicas ainda mais assertivo.

Contudo, se não houver este controle, há outros riscos adicionais em uma gravidez não planejada.

Como problemas cardíacos congênitos e mielomeningocele e de má-formações com dificuldades na espinha bífida, o fechamento incompleto do canal da coluna vertebral ou até mesmo o aborto e excesso de peso do bebê.

Para elas, se houver uma variabilidade glicêmica, poderá trazer complicações do diabetes como cardiopatias e retinopatia diabética, que pode em casos mais graves levar à cegueira.

Campanha de Conscientização do Dia Mundial da Contracepção

A iniciativa terá uma live, amanhã, dia 26, com a participação do público através de perguntas e respostas, através do Facebook do Movimento Divabetica.

Já no dia 28 de setembro, às 19h00, a live contará com a presença da Fabiana Couto, que convive com o diabetes há 27 anos e da Dra. Thais Emy Ushikusa, Ginecologista e gerente médica da Saúde Feminina da Bayer.

Além delas, Alexandra Ruppel, que tem diabetes há mais de 30 anos e teve um AVC isquêmico devido ao tempo de diabetes e à utilização de um tipo de contraceptivo que não era indicado no seu caso, também participará.

Temas e participações

Portanto, referindo-se a esta temática, a live interativa também abordará o descontrole da glicemia em mulheres com diabetes,.

E que estas podem, desse modo, piorar ainda mais o controle da taxa de açúcar no sangue, se não usarem o contraceptivo correto.

Dra. Thais Ushikusa, durante a live, falará sobre este assunto.

Ela mostrará, assim, a importância de se escolher um método anticoncepcional que melhor se adapte à vida de cada uma das mulheres com diabetes.

Após a live, haverá ainda depoimentos e posts no Facebook do Movimento Diavabética para chamar a atenção de todas as mulheres com diabetes a respeito da temática.

Vamos esclarecer dúvidas recorrentes e mitos em relação a contracepção e que antes de escolher o método,”, afirma Fabiana.

Foto: Shutterstock

Fonte: ADJ Diabetes

Deixe um comentário