Destaques & lançamentos

HPC

Farmácias vendem 12% mais produtos voltados a bebês e crianças nos últimos 12 meses

Percentual foi registrado pela InterPlayers no período de março/2021 a fevereiro/2022 em comparação com os 12 meses anteriores

Levantamento feito pela InterPlayers mostra que as compras de itens infantis nas farmácias, na seção bebê/infantil das farmácias brasileiras apresentaram aumento médio de 12% no período de março/2021 a fevereiro/2022, em comparação com os 12 meses anteriores, ou seja, março/2020 a fevereiro/2021.

Considerando apenas o primeiro bimestre de 2022 a alta foi de 9% sobre janeiro/fevereiro do ano anterior. Líder de vendas no Brasil, São Paulo foi o estado que mais contribuiu com o desempenho anual positivo (+46%).  Todavia, em termos percentuais, Goiás apresentou a maior alta (359%). Minas Gerais teve, então, o pior desempenho (-51%).

As compras na seção bebê/infantil das farmácias brasileiras apresentaram aumento médio de 12% em um ano.  É o que mostra, portanto,  levantamento feito pela InterPlayers, o hub de negócios da saúde e bem-estar, no período de março/2021 a fevereiro/2022, em comparação com os 12 meses anteriores, ou seja, março/2020 a fevereiro/2021. Considerando, então, apenas o primeiro bimestre de 2022, a alta foi de 9% sobre janeiro/fevereiro do ano anterior. 

Líderes de vendas

De acordo com a pesquisa da InterPlayers, baseada em números de seu próprio banco de dados, o estado de São Paulo, líder de vendas dessa linha de produtos no país, foi o que mais contribuiu, então,  para o desempenho, com alta de 46% em um ano e de 56% no primeiro bimestre de 2022.

Santa Catarina, vice-líder na linha de itens para bebês e crianças apresentou alta de 51%  (ano) e leve recuo de -1% no bimestre. No entanto, o estado que teve o maior crescimento em termos percentuais foi Goiás : 359% (ano) e 199% (bimestre). 

Na outra ponta, Paraná apresentou queda de 34% (ano) e de 50% (bimestre) e o Rio de Janeio registrou redução de 36% (ano) e de 40% (bimestre) nas vendas. 

Já Minas Gerais foi o estado com o pior desempenho ao apresentar, então, uma baixa de 51% no ano e de 50% nos dois primeiros meses de 2022.

Vendas de itens infantis nas farmácias

“Algumas variáveis devem ser consideradas na análise das razões que proporcionaram o crescimento do segmento de produtos. Em primeiro, houve, então, melhora significativa da economia em 2021/2022 em comparação com o período imediatamente anterior. O home office também possibilitou que os pais passassem mais tempo com os filhos, levando-os a gastarem mais com produtos relacionados a cuidados infantis. Além disso, farmácias e drogarias estão cada vez mais competitivas para produtos que a anos atrás eram prioritariamente comprados em outros canais, como supermercados”, comenta, então, o gerente de inteligência comercial da InterPlayers, Ilo Souza.

A rede de farmácias conta com uma gama variada de itens voltados a bebês e crianças em geral, como fraldas, lenços umedecidos, creme para assaduras, chupetas, mamadeiras, shampoos, sabonetes, linha de nutrição como leites para dietas especiais, talcos e acessórios como termômetros, inaladores, etc. 

Demanda por produtos infantis 

Crescimento comparando janeiro e fevereiro/21 com janeiro e fevereiro/22 (YTD): 9%.
Crescimento nos últimos 12 meses (março/2021 a fevereiro/2022), comparado, então, ao mesmo período no ano anterior (Variação móvel): 12%.

*Foi considerado dados de valores. 

 Estados que apresentaram maior aumento (SP, SC e GO) e queda (PR, RJ e MG).  

UF 

VAR% MOV

VAR% YTD

SP 

46%

56%

SC 

51%

-1%

GO 

359%

199%

PR 

-34%

-50%

RJ 

-36%

-40%

MG 

-51%

-55%

Fonte: InterPlayers 

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário