Hypera Pharma prepara entrada em maior classe terapêutica de prescrição no Brasil

Obtenção de registro de rivaroxabana pelo grupo farmacêutico abre caminho para lançamento de Vabam que reduzirá o desembolso de pacientes com distúrbios cardiovasculares

A Hypera Pharma prepara sua entrada no mercado de inibidores do fator XA – maior classe terapêutica* do segmento de medicamentos de prescrição no Brasil, com demanda no varejo (sell-out) superior a R﹩871,9 milhões, de acordo com dados do IQVIA relativos ao período entre janeiro e agosto de 2021.

Um marco relevante desse movimento foi atingido no último dia 8 de outubro, com a obtenção do registro de fabricação e comercialização da rivaroxabana pelo Grupo Hypera Pharma.

A rivaroxabana é um anticoagulante que tem aplicações em especialidades médicas como Cardiologia, Geriatria, Ortopedia, Pneumologia, Neurologia e Angiologia.

É recomendada para tratamento da fibrilação atrial e da trombose venosa profunda, doenças que podem resultar em sequelas graves caso não tratadas de maneira adequada.

Além disso, também é utilizada na prevenção do tromboembolismo venoso em pacientes adultos submetidos a cirurgias ortopédicas de joelho ou quadril.

Hypera Pharma vai entrar na maior classe terapêutica do país

Uma patente originalmente válida até junho de 2022 restringia a livre entrada de concorrentes no mercado da molécula no Brasil.

No entanto, em julgamento de uma ação direta de inconstitucionalidade, o Supremo Tribunal Federal(STF)) impediu a concessão de prazos extras para patentes de medicamentos no país.

Decisão que acabou, portanto, fixando a expiração da patente da rivoraxabana para dezembro de 2020.

Em antecipação a esse movimento, o pedido de registro do Vabam, nome comercial do produto, foi protocolado ainda em outubro de 2020.

“A entrada de novas opções de tratamentos cardiovasculares vai reduzir custos para milhões de pacientes brasileiros, com maior aderência ao tratamento e diminuição do risco de ocorrência de danos sérios à saúde“, diz o CEO da Hypera Pharma, Breno Oliveira.
Ainda de acordo com o executivo, a empresa deve iniciar a comercialização do medicamento já no início de novembro.
*Classe terapêutica CT4
Foto: Shutterstock
Não se automedique, consulte um profissional de saúde.
Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário