Pfizer pede autorização para armazenar vacina em temperatura mais alta

A Pfizer solicitou a permissão da FDA para que a sua vacina contra Covid-19 seja armazenada em refrigeradores de farmácia

A Pfizer e a BioNTech apresentaram novos dados de temperatura à Agência de Alimentos e Medicamentos dos Estados Unidos (FDA) que poderiam permitir que sua vacina contra Covid-19 seja armazenada em refrigeradores de farmácia, e não em instalações de armazenamento ultrafrias.

Se aprovadas, as exigências de armazenamento menos onerosas ofereceriam, então, um alívio logístico considerável para a distribuição da vacina.

Particularmente em países de renda mais baixa que não têm a infraestrutura necessária.

Os dados novos foram encaminhados à FDA em apoio a uma proposta de atualização da bula de uso emergencial.

Isso permitiria, então, que as ampolas de vacina sejam armazenadas entre -25 e -15 graus Celsius por até duas semanas como alternativa ao armazenamento em um congelador de temperatura ultrabaixa.

Atualmente, a bula da Pfizer/BioNTech exige que a vacina seja armazenada em um congelador ultrafrio com temperaturas entre -80ºC e -60ºC.

E a empresa pede que seja transportada em contêineres especiais.

Todavia, essas exigências de armazenamento desencadearam uma corrida entre os Estados norte-americanos no início da vacinação por gelo seco.

No qual a vacina pode ser armazenada temporariamente quando não há freezers especializados disponíveis, por exemplo, em áreas rurais.

Benefícios 

O pesquisador sênior do Centro Johns Hopkins para Segurança Sanitária, Amesh Adalja, disse que as temperaturas mais altas devem “expandir muito a capacidade de usar esta vacina em muitas partes do mundo (ou mesmo nos EUA) que não têm capacidade para armazenamento em congelamento intenso“.

A vacina Pfizer/BioNTech, assim como a vacina da Moderna, obteve, assim, autorização de uso emergencial nos EUA.

E está sendo distribuída amplamente pelo país como parte dos esforços de vacinação em massa.

“Os dados apresentados podem facilitar o manuseio de nossa vacina em farmácias e proporcionar uma flexibilidade ainda maior a centros de vacinação”, disse o presidente-executivo da BioNTech, Ugur Sahin.

Vacina da Pfizer é 93% eficaz após duas semanas com apenas uma dose 

Fonte: Exame / Reuters

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário