fbpx

Prati-Donaduzzi está entre as mil maiores empresas do Brasil segundo o Anuário Valor 1000

A Prati-Donaduzzi teve rentabilidade 12% superior se comparado às outras empresas do mercado farmacêutico e cosmético do Brasil

A produtora de genéricos, Prati-Donaduzzi, está entre as empresas que mais se destacaram no Brasil em 2018. Esse resultado foi apresentado no segundo Anuário Valor 1000, elaborado pelo Jornal Valor Econômico. A cerimônia de premiação da 19ª edição do Anuário ocorreu na última terça-feira (20/08), no Hotel Unique, em São Paulo (SP).

A companhia obteve no último ano, lucro líquido de R$ 69,9 milhões. A rentabilidade da indústria paranaense foi 12% superior se comparado às outras empresas do mercado farmacêutico e cosmético, setor em que a Prati-Donaduzzi disputou. Nesta categoria, a companhia paranaense ocupa o sexto lugar entre as farmacêuticas com maior rentabilidade.

Veja Mais

De acordo com o diretor-presidente da Prati-Donaduzzi, Eder Fernando Maffissoni, a participação no Anuário Valor 1000 é muito importante, pois destaca os esforços da companhia na melhoria de seus processos.
“Estar entre as mil maiores empresas do Brasil pelo oitavo ano consecutivo, e ainda figurar entre as seis em rentabilidade no setor, é motivo de orgulho e realça o crescimento estruturado”, disse.

De acordo com Maffissoni, o resultado é fruto de planejamento estratégico bem traçado, investimentos em pesquisa, desenvolvimento e inovação. Dentre esses fatores, principalmente, a qualidade dos produtos a capacitação da equipe. “Seguimos confiantes, evoluindo com solidez e sempre de olho no futuro”, afirmou o executivo.

Crescimento da Prati-Donaduzzi

A Prati-Donaduzzi encerrou o primeiro semestre de 2019 com 46 novas apresentações de medicamentos, totalizando em seu portfólio 354 produtos.

No entendimento do diretor-presidente, a farmacêutica está em constante processo de crescimento. “Queremos, em breve, ser a detentora de um dos maiores portfólios de genéricos do país. E até 2022, temos projeção de continuar crescendo 15% ao ano”, destacou Maffissoni.

Para alcançar esses objetivos e, finalizar o ano com a produção de 12 bilhões de doses de genéricos, a farmacêutica tem feito investimentos em várias áreas. Entre eles, em aperfeiçoamento dos processos, sobretudo, em pesquisa, inovação, aquisição de novos equipamentos. Além disso, a farmacêutica tem investido em contratação de mão de obra qualificada.

Pesquisa para o ranking Valor 1000

Para elaborar o ranking do Valor 1000 foram analisadas empresas em 25 categorias. Como parâmetro para o ranqueamento foi utilizado: receita líquida, rentabilidade, critérios atuais da medida de desempenho, bem como a gestão do endividamento. A análise foi elaborada em parceria com a Serasa Experian e a Fundação Getulio Vargas (FGV).

De acordo com o levantamento, as empresas participantes cresceram. A receita, em termos reais, cresceu 12,9% em 2018 chegando a quase R$ 4 trilhões. Também houve significativa redução no endividamento. Assim, a alavancagem financeira, medida pela relação entre a dívida financeira líquida e o valor de lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebtida), recuou 0,3 ponto percentual. Dessa forma, voltando ao patamar anterior à crise econômica de 2013.

Foto: Shutterstock
Fonte: Prati-Donaduzzi

Deixe um comentário