fbpx

Mais de 6 mil farmácias aderem à campanha contra violência doméstica

As vítimas poderão desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao farmacêutico ou atendente de farmácia, sendo essa a senha para que os profissionais acionem autoridades

Grandes redes do varejo farmacêutico nacional afiliadas à Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma) e a Associação Brasileira das Redes Associativistas de Farmácias e Drogarias (Abrafad), anunciaram a adesão à campanha Sinal Vermelho. A ação, encabeçada pela Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), visa a incentivar denúncias de violência doméstica contra a mulher. Mais de seis mil farmácias em todos os estados brasileiros e no Distrito Federal estarão envolvidas.

Pela iniciativa, as vítimas poderão desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao farmacêutico ou atendente de farmácia. Essa será a senha para que os profissionais acionem imediatamente as autoridades policiais e garantam o acolhimento da cliente. Eles, porém, não serão conduzidos à delegacia nem chamados a testemunhar.

O projeto é uma resposta conjunta de membros do Poder Judiciário ao recente aumento dos registros de violência em meio à pandemia. Em março e abril, o índice de feminicídios avançou 22,2%, de acordo com o Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Já as chamadas para o número 180 tiveram aumento de 34% em comparação ao mesmo período do ano passado, segundo balanço do governo federal.

Campanha contra a violência doméstica

“A quarentena colocou, especialmente, mulheres e crianças em situações de maior vulnerabilidade dentro da própria casa. Iniciativas como essa ajudam a reverter a situação e salvar vidas. E as farmácias, por representarem um serviço essencial e terem presença maciça em todo o território nacional, podem ser pontos de apoio fundamentais para ajudar as vítimas”, argumenta o CEO da Abrafarma, Sergio Mena Barreto.

Algumas das redes participantes da campanha são A Nossa Drogaria, Droga Raia, Drogasil, Drogaria Araujo, Drogaria Santa Lúcia, Drogaria Venancio, Drogarias Nissei, Extrafarma, Farma Ponte, Farmácias Pague Menos, Rede Drogal e Redepharma.

O projeto também terá ampla divulgação nas redes sociais, por meio do Facebook (@campanhasinalvermelho), no Instagram (@campanhasinalvermelho) e no Twitter (@sinalvermelho), com o uso da hashtag #sinalvermelho.

Foto: Abrafarma

Fonte: Abrafarma / Abrafad

1 comentário

  1. Avatar
    João Joaquim sobrinho em

    Espero que não só as farmacia entre nessa luta . Mais o comércio em geral.. meu Deus que todos nós ajudem. Contra o feminicidio mas todo tipo de violência contra a mulher.

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: