Reino Unido dá autorização condicional para comprimido contra Covid-19

País é primeiro do mundo a conceder autorização do remédio que não deve ser utilizado como substituto da vacinação contra a Covid-19

A agência regulatória do Reino Unido concedeu, nesta quinta-feira (4), autorização condicional para o comprimido contra a Covid-19 desenvolvido pela farmacêutica Merck, conhecida no Brasil como MSD.

A autorização é a primeira do mundo a ser dada ao medicamento, que ainda está sendo avaliado pelas agências regulatórias dos Estados Unidos e da União Europeia.

Ainda não está claro se o comprimido será vendido em farmácias.

De acordo com a agência britânica, o Serviço Nacional de Saúde (NHS) do país irá confirmar, então, como o medicamento será destinado aos pacientes.

O medicamento, o molnupiravir, leva o nome comercial de Lagevrio no país.

O molnupiravir foi autorizado para uso em pessoas com Covid-19 leve a moderada.

E pelo menos um fator de risco para o desenvolvimento de doença grave, incluindo obesidade, idade avançada (acima de 60 anos), diabetes ou doenças cardíacas.

A recomendação da agência regulatória é de que o medicamento seja usado o mais rapidamente possível após um diagnóstico positivo de Covid-19 e, ao mesmo tempo, dentro de 5 dias após o início dos sintomas.

O remédio

No início de outubro, a farmacêutica americana Merck anunciou que seu remédio experimental contra a Covid-19, o molnupiravir, reduziu as hospitalizações.

E também em mortes em pessoas no início da infecção com o coronavírus.

Nos testes, pacientes que receberam o molnupiravir em até 5 dias após o início dos sintomas da Covid-19 tiveram cerca de metade da taxa de hospitalização.

Além de também morte em relação aos pacientes que receberam um comprimido inativo.

O medicamento não funciona em pacientes com quadros graves de Covid-19.

Autorização condicional

A agência regulatória britânica introduziu um esquema nacional de Autorização de Comercialização Condicional (CMA, na sigla em inglês) para novos medicamentos na Grã-Bretanha (InglaterraPaís de Gales e Escócia), que está em vigor desde 1º de janeiro deste ano.

Uma autorização de uso de emergência do molnupiravir foi concedida à Irlanda do Norte para garantir o acesso em todo o Reino Unido.

No entanto, o esquema de autorização condicional se destina a medicamentos que atendem, portanto, a uma necessidade médica ainda não contemplada.

Como por exemplo doenças graves e com risco de vida para as quais não há métodos de tratamento satisfatórios disponíveis.

Ou em que o produto oferece uma vantagem terapêutica importante.

A agência pode, contudo, conceder uma autorização desse tipo quando os dados clínicos ainda não estiverem completos.

No entanto, quando considera que esses dados estarão disponíveis em breve.

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário