fbpx

Telemedicina é usada para informação e triagem virtual em casos suspeitos de Covid-19

A tecnologia ajuda a evitar a aglomeração em hospitais, contribuindo para impedir a transmissão do novo coronavírusa pacientes e profissionais da saúde

A telemedicina ganha espaço no combate ao coronavírus. O recurso permite o atendimento de pacientes a distância. Assim, evitando idas desnecessárias aos hospitais. O procedimento já está sendo usado em vários países e faz parte da lista de instrumentos eficazes para o controle da pandemia do Centers for Disease Control (CDC), dos Estados Unidos, e de outras instituições internacionais de renome.

No Brasil, opções de teleconsulta despontam como alternativa para buscar informações sobre sintomas, meios de prevenção e consultas remotas sem se arriscar em aglomerações. Uma dessas plataformas é o Coronavírus SUS, desenvolvida pelo Ministério da Saúde para fornecer informações sobre a doença, sintomas, diagnóstico e tratamento; dicas sobre prevenção e também mapear as unidades de saúde mais próximas de acordo com a geolocalização. Outra funcionalidade é identificar as notícias falsas que estão sendo disseminadas sobre o assunto. A ferramenta disponibiliza ainda o número de WhatsApp para envio de mensagens para que as áreas técnicas apurem e respondam se são verdadeiras ou falsas.

Outro exemplo do uso da tecnologia a favor da conscientização das pessoas e oferta de serviços é o Einstein Conecta, aplicativo do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, para orientações médicas. Por meio da ferramenta, os pacientes de planos de saúde com cobertura e de empresas parceiras podem realizar a primeira triagem a distância. “O atendimento por telemedicina nesse momento é muito importante. Isso porque evita a circulação de pessoas e, consequentemente, ajuda a impedir a disseminação do vírus entre outros pacientes ou entre profissionais de saúde que estão na linha de frente”, explica o médico Eduardo Cordiolli, Gerente Médico da Telemedicina do Einstein.

Telemedicina no combate ao coronavírus

Por meio de uma parceria firmada com o Ministério da Saúde, via Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do SUS (Proadi/SUS), o hospital também viabiliza a assistência médica especializada na região Norte do Brasil por meio da telemedicina. Iniciado neste mês, o projeto permitirá o atendimento de sete especialidades médicas em 120 cidades que não dispõem de recursos em saúde. Assim, auxiliando no diagnóstico dos casos da Covid-19. De São Paulo, médicos ajudarão no atendimento de pacientes de unidades de atendimento primárias dos municípios contemplados, como AMAs e UBSs.

Dentro do mesmo programa em conjunto com o Ministério, o hospital coordena um projeto de teleorientação dada pelos médicos da instituição a 30 Unidades de Terapia Intensiva do país que não contam com especialistas. Desde 2012, quando o Einstein começou a se valer da telemedicina, até o ano passado, foram realizados mais de 178 mil atendimentos. Nos últimos dias, devido ao aumento de procura por informações sobre a Covid-19, o número subiu para 200 por dia.

Foto: Shutterstock

Fonte: Por Tiago Varella, da Agência Einstein

Deixe um comentário