fbpx

Treze farmacêuticas entre As Melhores Empresas para Trabalhar 2019

O ranking das Melhores Empresas para Trabalhar 2019 foi anunciado pela Época Negócios e o Great Place to Work

Treze indústrias farmacêuticas instaladas no País estão no ranking das Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil 2019, anunciado ontem (12/08) pela Época Negócios e o Great Place to Work (GPTW). Entre as 20 primeiras estão a Eurofarma (13ª) e Novo Nordisk (18ª).

Veja a seguir, lista completa:

Eurofarma
Novo Nordisk
AstraZeneca
Johnson & Johnson
Roche Farmacêutica
Supera Farma
Momenta
Bristol-Myers Squibb
Novartis
Aspen Pharma
Takeda
Zambon
Zodiac

Veja Mais

Os vencedores do prêmio As Melhores Empresas para Trabalhar no Brasil 2019 foram revelados em uma festa para mais de mil pessoas no Espaço das Américas, em São Paulo (SP). Dessa forma, a Época Negócios e o Great Place to Work apresentaram as 150 melhores empresas, divididas entre 80 grandes, 35 médias nacionais e 35 médias multinacionais.

Desafios do ranking das Melhores Empresas para Trabalhar 2019

“Ao longo dos últimos anos, com a transparência da internet, tudo no mundo do trabalho mudou. Assim, nunca foi tão desafiador ter um bom clima e se manter atraente para os novos talentos”, disse a diretora de redação de Época Negócios e de Pequenas Empresas & Grandes Negócios, Sandra Boccia, na cerimônia de premiação. “É preciso ter um escritório bacana, um bom plano de saúde, ter uma causa, causar impacto, promover a diversidade e a inclusão, gerar engajamento, além de ter ações reais em prol do meio ambiente e de toda a sociedade. Tudo isso ao mesmo tempo e agora, enquanto as metas são batidas”.

As mudanças no mundo do trabalho também foram lembradas pelo CEO do GPTW Brasil, Ruy Shiozawa. De acordo com ele, uma série de pesquisas mostrou que a maior preocupação dos CEOs para 2019 era enfrentar os desafios trazidos pela transformação digital. Para a área, está previsto US$ 1,3 trilhão de investimentos este ano. No entanto, dados históricos mostram que 70% desses projetos não atingem ou atingem muito pouco os seus objetivos. “As tecnologias e as metodologias estão aí. Contudo, o que está faltando são as empresas trabalharem com a mesma intensidade o pilar de pessoas. É por isso que apenas 30% dos programas são bem-sucedidos”, afirmou Shiozawa.

A lista é elaborada pelo GPTW, que realizou pesquisas qualitativas e quantitativas com funcionários e gestores de 2.645 empresas.

Foto: Shutterstock
Fonte: Sindusfarma

1 comentário

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: