PDV

Varejo deve investir em tecnologia para manter lucro

Para um bom gerenciamento do negócio é essencial ter boas ferramentas de gestão e proteção

Depois de três anos de queda, as perdas no varejo voltaram a crescer em 2018, como aponta a 2ª Pesquisa de Perdas no Varejo Brasileiro organizada pela Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe) em 12 segmentos (Atacado/Atacarejo, Calçados, Construção/Lar, Drogarias, Eletro/Móveis, Esportes, Livrarias/Papelarias, Lojas de Departamento, Magazines, Moda, Perfumarias e Supermercados). Em 2015 o índice foi de 1,4%, em 2016 fechou em 1,32% e em 2017 atingiu a marca de 1,29%. No ano passado, a perda média chegou a 1,38% do faturamento líquido do varejo restrito de R$ 1,55 trilhão, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), um aumento de 7% de um ano para o outro. Com base no cenário retratado na pesquisa, estima-se uma perda projetada para todo o varejo de aproximadamente R$ 21,5 bilhões.

Na nova pesquisa da Abrappe, as quebras operacionais continuam sendo as principais causas das perdas, com participação de 36% sobre o total. Furtos externos, com 20%, erros de inventário e furtos internos, com 13% e 11%, respectivamente, vêm na sequência, à frente de erros administrativos (9%), outros (4%), fraudes de terceiros externos, fraudes de terceiros internos (ambos com 3%) e cadastro de produtos (2%).

Embora os meios de pagamento eletrônico tenham aumentado sua participação, dinheiro falso continua sendo um ponto de atenção para todo operador de caixa no varejo. A média do prejuízo foi de 0,37% do faturamento líquido das empresas.

O diretor de marketing da Gunnebo, Adriano Sambugaro, destaca que, independentemente do setor, para um bom gerenciamento das perdas é essencial considerar investimentos em tecnologia. “Para minimizar as perdas, e principalmente manter a lucratividade do negócio, o varejo, que trabalha com margens reduzidas (em torno de 2%), tem à disposição uma série de soluções que auxiliam na proteção de produtos, garantem a segurança da loja, além de facilitarem a gestão e o controle das equipes operacionais e de vendas”, argumenta o executivo.

As ações de prevenção podem ser:

  1. Monitoramento na frente de caixa.
  2. Maior agilidade e vendas no PDV.
  3. Gestão de numerário mais eficiente.
  4. Exposição mais segura nas lojas.
  5. Antenas para inibir ações de fraudes.

 


Fonte: Core Group
Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário