Bolívia se torna 1º país a pedir quebra de patentes de vacinas

Se a Organização Mundial do Comércio aprovar o pedido, país poderia importar 15 milhões de doses do imunizante contra a Covid-19 da Johnson & Johnson

A Bolívia apresentou à Organização Mundial do Comércio (OMC) um pedido de liberação de patentes que lhe permitiria importar 15 milhões das vacinas contra a Covid-19 da Johnson & Johnson, de acordo com o que informou a entidade na última quinta-feira (13).

Na notificação que chegou ao organismo multilateral, o governo boliviano invoca uma alteração de 2017 ao Acordo sobre Aspectos dos Direitos de Propriedade Intelectual Relacionados com o Comércio (TRIPS).

Abrindo, então, o caminho legal à importação de medicamentos, vacinas e outros produtos farmacêuticos a preços acessíveis.

No último mês de fevereiro, a Bolívia já tinha notificado à OMC sua intenção de fazer uso desta flexibilidade legal.

Agora, o governo boliviano especificou sua vontade de importar especificamente a vacina da Johnson & Johnson.

Ela  é a única de dose única das cinco vacinas aprovadas através do mecanismo de utilização de emergência da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Proposta conjunta

A OMC tem sido palco durante sete meses de conversas infrutíferas entre países sobre uma proposta conjunta da Índia e da África do Sul de suspender temporariamente, e em uma base limitada, as patentes que protegem as vacinas.

Apelando, assim,  precisamente à emenda que a Bolívia decidiu utilizar, tornando-se assim o primeiro país a fazê-lo.

O objetivo é permitir que a produção de vacinas não se limite às empresas farmacêuticas que as desenvolveram e que detêm as patentes que protegem seus direitos de propriedade intelectual.

O que impede, contudo, que outros países com capacidade de produção se juntem a este esforço para atender a demanda global.

A OMC confirmou que a iniciativa da Bolívia abre a possibilidade de importar vacinas para qualquer dos 50 Estados-membros da OMC que tenha legislação nacional que regule a produção e exportação de medicamentos em uma situação de suspensão de patentes.

Vários países que são sede de grandes farmácias opuseram-se às suspensões de patentes nas discussões da OMC, bloqueando qualquer possibilidade de progresso.

No entanto, o recente anúncio do governo dos Estados Unidos de que é a favor de uma suspensão de patentes nesta situação de emergência sanitária sugere que a questão poderá ser objeto de negociações mais intensas na OMC nas próximas semanas.

Governo publica norma para agilizar importação de vacina contra Covid-19 

Fonte: R7

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário