Comitê de agência americana recomenda dose de reforço da vacina contra a Covid-19 da Janssen

Dose 'extra' poderá ser aplicada após dois meses da primeira aplicação para adultos nos EUA

Um comitê consultivo independente da agência reguladora norte-americana (FDA) recomendou, nesta sexta-feira (15), uma dose de reforço para a vacina da Janssen contra a Covid-19.

A saber, o imunizante, desenvolvido pela braço de vacinas da farmacêutica americana Johnson & Johnson, é aplicado em regime de dose única.

A recomendação do grupo de especialistas, é de que a “dose extra” seja aplicada com um mínimo de dois meses após a primeira.

Representantes da farmacêutica defenderam a vacinação a partir dos seis meses da primeira dose, de acordo então, com o acompanhamento da resposta imunológica de pacientes.

recomendação do comitê independente não é definitiva, e nem obrigatória.

No entanto, a agência reguladora normalmente a segue à risca.

Se a FDA aprovar o reforço da Janssen, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) fará recomendações específicas sobre quem poderá recebê-la.

Reforço no Brasil

O imunizante da Janssen é o único em uso no Brasil que é administrado em apenas uma dose.

Ele tem, portanto, a autorização para uso emergencial, aprovado em março.

No mesmo mês, o Ministério da Saúde (MS) fechou um acordo com a Janssen para a compra de 38 milhões de doses da vacina.

Até o fim desta quinta, 4,68 milhões de pessoas foram vacinadas com o imunizante da Janssen no país e novas entregas estão previstas para acontecer em novembro e dezembro.

Anvisa

Em agosto, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) pediu que a farmacêutica informasse os dados de estudos sobre o reforço ou revacinação do seu imunizante.

O objetivo, de acordo com a Anvisa, era de antecipar informações que permitam avaliar o cenário em torno da necessidade ou não de doses adicionais das vacinas em uso no Brasil.

No país, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) vai começar a testar a aplicação da dose de reforço da Janssen a partir de novembro.

A instituição participou dos testes da vacina com dose única e contou, então, com 470 voluntários.

Agora, os participantes tomarão a nova dose e serão monitorados até o fim de 2022.

Os dados ainda não foram revisados ​​por pares, mas serão submetidos para publicação nos próximos meses.

Segundo a empresa, o reforço administrado dois meses após a primeira dose aumentou, portanto, os níveis de anticorpos de quatro a seis vezes.

Quando administrado seis meses após a primeira dose, os níveis de anticorpos aumentaram doze vezes.

Sugerindo, portanto, uma grande melhora na proteção com o intervalo mais longo entre as doses.

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário