fbpx

Dermocosméticos ajudam quem se preocupa com a pele

Os cuidados com a cútis desde a juventude são os principais responsáveis pela boa aparência mesmo depois de 20 ou até 40 anos. Dermocosméticos ajudam a prevenir e a tratar o envelhecimento cutâneo

Maior órgão do corpo, não é por acaso que a pele seja uma das principais preocupações conforme o tempo passa. Exposta diariamente ao sol, à poluição e diretamente ligada aos hábitos, a cútis acaba sentindo – e mostrando – o quanto, e como, uma pessoa está vivendo.

Manchas, rugas e marcas de expressão são preocupações conhecidas nos consultórios dermatológicos e entre aqueles que olham as prateleiras de dermocosméticos. Por isso é essencial conhecer os principais incômodos e saber como tratá-los e preveni-los.

As rítides, mais conhecidas como marcas de expressão, são linhas que aparecem entre a musculatura da face devido à movimentação recorrente para realizar as expressões faciais. A dermatologista membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica (SBCD), Dra. Luciana Gasques, explica que as marcas, quando não tratadas, evoluem para rítides estáticas (quando a paciente está em repouso, sem fazer nenhuma movimentação) e, posteriormente, para sulcos e marcas profundas.

Incômodos aparentes

Um problema constante são as rugas, que também são agravadas pela flacidez da pele e pela queda das bolsas de gordura do rosto, além do afinamento ósseo e da frouxidão da musculatura – inevitáveis com o envelhecimento. “Já as manchas têm diversas causas, a maioria delas agravadas pelo sol. Podem ser melasma, melanoses solares, queratoses seborreicas, entre outras. O dermatologista deve examinar e diagnosticar exatamente o subtipo, pois os tratamentos são distintos”, diz a especialista.

O CEO da Nupill, Roberto Vaz, complementa afirmando que manchas ou melasmas são provocados por ações externas. Não há uma causa definida, mas muitas vezes esta condição está relacionada ao uso de anticoncepcionais, gravidez e, principalmente, à exposição solar. O fator desencadeante é a exposição à luz ultravioleta e à luz sensível. Além disso, a predisposição genética também influencia o surgimento desta condição.

As manchas de acne, por exemplo, são aquelas que aparecem após a cicatrização de espinhas. Juntando o processo inflamatório da acne com a tendência própria do paciente de produzir melanina na pele, acaba se formando uma pigmentação pós-inflamatória. Elas podem ser de cor roxa, vermelha ou até marrom; os melanomas, por sua vez, são manchas de diversos tamanhos, cores e texturas que manifestam o câncer de pele. É o tipo mais raro e grave da doença. Esta marca pode surgir de repente ou a partir de uma pinta ou sinal antigo e, assim, se transformar no tumor.

Cada um no seu lugar

A farmácia deve estar atenta para ter um bom sortimento de dermocosméticos para limpeza da pele que atenda aos vários tipos, como as secas, sensíveis, mistas e oleosas, além de considerar as necessidades de cada cliente. Os higienizadores indicados para pele oleosa merecem maior diversificação de apresentações, uma vez que a pele oleosa acomete a maior parte da população brasileira e, como são artigos com maior tendência de compra espontânea, podem ter uma saída mais frequente.

Além disso, os produtos podem ser trabalhados por necessidade de uso: rosto, colo e pescoço, mãos e corpo. Recomenda- -se também que os produtos da mesma linha sejam posicionados juntos, para incentivar a compra de cuidados completos.

Fontes: L’Oréal; e CEO da Nupill, Roberto Vaz

“As sardas (ou efélides) são manchas que surgem em quem tem predisposição genética e, especialmente, em quem tem sensibilidade ao sol. São pequenas marcas pigmentadas, avermelhadas ou marrons claras, que surgem geralmente em indivíduos de pele clara e ruiva, principalmente de fototipos mais baixos. Elas costumam aparecer aos dois ou três anos de idade, aumentando durante a adolescência e, muitas vezes, sumindo parcialmente na maturidade”, informa a Divisão Cosmética Ativa L’Oréal.

Por fim, a melanose solar é aquela marca escura que se agrava na pele por conta do acúmulo de danos solares ao longo dos anos. Estas manchas podem surgir no corpo inteiro, principalmente nas regiões mais expostas (colo, braços, rosto e mãos) e, normalmente, se manifestam a partir dos 40 ou 50 anos de idade.

Cronologia da pele

As linhas de expressão, de acordo com Vaz, podem aparecer por volta dos 20 anos de idade, precisamente nos locais em que o rosto é mais expressivo, como ao redor da boca, na testa e no canto dos olhos. Com o passar do tempo, o problema pode se intensificar, pois existe a diminuição da fabricação dos ativos de sustentação da pele: o colágeno e a elastina. A falta de hábitos saudáveis também contribui para a perda destes componentes mais rapidamente. A indicação de uso é de cremes que possuam em sua formulação ativos que penetram na segunda camada da pele e reponham a elastina e o colágeno.

Contra as manchas, a melhor forma de prevenção é a proteção solar o mais cedo possível. O uso de bloqueadores deve ser diário, ainda que o dia esteja nublado ou chuvoso. “Como o melasma pigmenta também com a luz visível, os filtros solares comuns não protegem totalmente as pessoas com melasma. Por isso devem-se associar à fotoproteção filtros físicos, que protegem da luz visível. Outra medida importante é a reaplicação do filtro solar, para manter a proteção adequada durante todo o dia”, alerta o executivo da Nupill.

A partir dos 45 anos de idade, em média, o envelhecimento cutâneo torna-se mais evidente. Isto ocorre em função da chegada da menopausa e da diminuição da síntese do hormônio desidroepiandrosterona (DHEA).

A menopausa ocorre, em média, por volta dos 50 anos. E algumas de suas consequências são, de acordo com a Divisão Cosmética Ativa L’Oréal: redução da renovação celular, comprometimento da função da barreira da pele e queda da síntese de colágeno, elastina e glicosaminoglicanas (GAGs). Juntos, estes fenômenos ocasionam o aumento da flacidez e das rugas, ressecamento e aspecto heterogêneo da superfície da pele, além do surgimento de manchas. As glândulas sebáceas têm seu estímulo reduzido e isso contribui ainda mais para o ressecamento da pele.

Já a queda do DHEA começa a ocorrer entre os 20 e os 25 anos de idade. Algumas das consequências são a redução da síntese de colágeno, com perda da densidade e da elasticidade da pele, agravando ainda mais os sinais da menopausa.

Boas escolhas

Para ajudar a prevenir e tratar cada um dos problemas, a indústria estuda e desenvolve dermocosméticos para todos os tipos de pele. Ao contrário dos cosméticos, que atuam apenas nas camadas mais superficiais e ajudam a cobrir manchas, disfarçar a acne ou hidratar a pele superficialmente, os dermocosméticos agem nas camadas mais profundas.

Eles possuem ativos com variadas funções. Desta forma, um único produto pode hidratar e tratar cicatrizes de acne, manchas e rugas, por exemplo, porque possui substâncias ativas com eficácia comprovada. Além disso, são capazes de prevenir todos esses sinais, complementa.

Tendência para rejuvenescer

Ideais para ocasiões especiais, festas e eventos, alguns dermocosméticos apresentam ação parecida com a da toxina botulínica, de efeito imediato, podendo durar até oito horas, se aplicados corretamente, e devem ser utilizados na região em volta dos lábios, olhos e testa, para garantir um efeito tensor imediato. São popularmente conhecidos por proporcionarem o “efeito Cinderela”.
O ácido hialurônico também é um poderoso aliado, já que renova a pele, reduz rugas, linhas de expressão e hidrata.

Fonte: Nupill

Os produtos podem ser usados durante todo o ano, sempre respeitando as recomendações de uso de cada um. “O ideal é que, logo pela manhã, a pessoa use o protetor solar e o reaplique a cada três ou quatro horas. Por outro lado, tratamentos com ácidos são mais indicados para serem usados à noite, quando a pele está mais suscetível à penetração dos ativos dos dermocosméticos, e também porque podem causar fotossensibilidade”, frisa a Divisão Cosmética Ativa L’Oréal.

Mas, ainda que não haja um período mais indicado que outro para os tratamentos cutâneos, no outono e no inverno há menor exposição ao sol e é mais fácil cuidar melhor da pele. Existe uma pequena sazonalidade de consumo nesta época. O mercado de tratamento facial tem melhor performance tanto nos consultórios quanto nos pontos de venda (PDVs).

Foto: Shutterstock

Você conhece o seu cliente?

Edição 316 - 2019-03-15 Você conhece o seu cliente?

Essa matéria faz parte da Edição 316 da Revista Guia da Farmácia.

Sobre o colunista

Guia da Farmácia

Premiado pela Anatec na categoria de mídia segmentada do ano, o Guia da Farmácia é hoje a publicação mais conhecida e lembrada pelos profissionais do varejo farmacêutico. Seu conteúdo diferenciado traz informações sobre os principais assuntos, produtos, empresas, tendências e eventos que permeiam o setor, além de Suplementos Especiais temáticos e da Lista de Preços mais completa do mercado.