O farmacêutico e a orientação na dispensação de contraceptivos

O farmacêutico exerce um importante papel de orientação às mulheres na hora de escolher um contraceptivo

Ao optar pelo uso de um contraceptivo, grande parte das mulheres é influenciada pelas indicações de amigas e familiares, indo diretamente à farmácia em busca do medicamento.

É nessa hora que o farmacêutico precisa orientar suas clientes.

Confira as dúvidas mais comuns entre pacientes e também profissionais da loja.

1. Não tomar a pílula anticoncepcional no mesmo horário diminui a eficiência do remédio?

A resposta é sim. Segundo a ginecologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Maria Luisa Mendes Nazar, ingerir o medicamento no mesmo período garante maior eficiência, seja via oral ou injetável.

No caso da pílula, que é diária, recomenda-se escolher um horário com menor possibilidade de esquecimento.

“Quando alertamos sobre atrasos, não nos referimos a minutos, mas sim a um período inteiro, após três horas”, explica. Nesses casos, o ideal é fazer uso de outros métodos contraceptivos, como a camisinha.

2. É preciso ingerir o comprimido com água ou outro líquido?

A recomendação é tomar o remédio sempre com auxílio de água ou qualquer outro líquido que não seja alcoólico. A dica é importante por ajudar na condução do comprimido até o estômago, evitando qualquer parada inesperada no esôfago, por exemplo.

3. Vômitos e diarreia atrapalham a absorção do anticoncepcional?

É preciso cautela. Os vômitos são preocupantes em alguns cenários, principalmente quando ocorrem até quatro horas depois da ingestão do comprimido. Esse é o tempo médio que a pílula demora a chegar ao estômago, período em que aumentam as chances de não absorção correta.

Também merecem atenção os pacientes com bulimia, gastrite, intolerância no tubo digestivo e mulheres que fizeram cirurgia bariátrica.

Por conta do histórico clínico, é necessária uma análise aprofundada para a escolha do método mais adequado e eficaz. Já no caso de diarreia, a ginecologista não vê perigo.

“O comprimido primeiro chega ao estômago, cai na corrente sanguínea e vai até o fígado para ser metabolizado. Por isso, a diarreia não é uma ameaça ao efeito da pílula”, lembra.

4. Qual o melhor método anticoncepcional?

Não é possível afirmar de forma geral qual é o melhor. A orientação é sempre consultar-se com o especialista a fim de definir a opção mais vantajosa para a realidade de cada paciente.

Contraceptivos: direito de escolha 

A importância dos métodos contraceptivos 

O que pode cortar o efeito da pílula anticoncepcional? 

 

Fonte: Assistência Farmacêutica Avançada

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário