fbpx

O farmacêutico e a orientação na dispensação de contraceptivos

O farmacêutico exerce um importante papel de orientação às mulheres na hora de escolher um contraceptivo

Ao optar pelo uso de um contraceptivo, grande parte das mulheres é influenciada pelas indicações de amigas e familiares, indo diretamente à farmácia em busca do medicamento.

É nessa hora que o farmacêutico precisa orientar suas clientes.

Confira as dúvidas mais comuns entre pacientes e também profissionais da loja.

1. Não tomar a pílula anticoncepcional no mesmo horário diminui a eficiência do remédio?

A resposta é sim. Segundo a ginecologista do Hospital Edmundo Vasconcelos, Maria Luisa Mendes Nazar, ingerir o medicamento no mesmo período garante maior eficiência, seja via oral ou injetável.

No caso da pílula, que é diária, recomenda-se escolher um horário com menor possibilidade de esquecimento.

“Quando alertamos sobre atrasos, não nos referimos a minutos, mas sim a um período inteiro, após três horas”, explica. Nesses casos, o ideal é fazer uso de outros métodos contraceptivos, como a camisinha.

2. É preciso ingerir o comprimido com água ou outro líquido?

A recomendação é tomar o remédio sempre com auxílio de água ou qualquer outro líquido que não seja alcoólico. A dica é importante por ajudar na condução do comprimido até o estômago, evitando qualquer parada inesperada no esôfago, por exemplo.

3. Vômitos e diarreia atrapalham a absorção do anticoncepcional?

É preciso cautela. Os vômitos são preocupantes em alguns cenários, principalmente quando ocorrem até quatro horas depois da ingestão do comprimido. Esse é o tempo médio que a pílula demora a chegar ao estômago, período em que aumentam as chances de não absorção correta.

Também merecem atenção os pacientes com bulimia, gastrite, intolerância no tubo digestivo e mulheres que fizeram cirurgia bariátrica.

Por conta do histórico clínico, é necessária uma análise aprofundada para a escolha do método mais adequado e eficaz. Já no caso de diarreia, a ginecologista não vê perigo.

“O comprimido primeiro chega ao estômago, cai na corrente sanguínea e vai até o fígado para ser metabolizado. Por isso, a diarreia não é uma ameaça ao efeito da pílula”, lembra.

4. Qual o melhor método anticoncepcional?

Não é possível afirmar de forma geral qual é o melhor. A orientação é sempre consultar-se com o especialista a fim de definir a opção mais vantajosa para a realidade de cada paciente.

Contraceptivos: direito de escolha 

A importância dos métodos contraceptivos 

O que pode cortar o efeito da pílula anticoncepcional? 

 

Fonte: Assistência Farmacêutica Avançada

Foto: Shutterstock

Deixe um comentário