73% do Sudeste pretendem utilizar o Pix nas transações, aponta estudo

Levantamento do Banco BS2 aponta que gratuidade do serviço, pagamento ágil e utilização a qualquer hora são os maiores atrativos para a região

Pesquisa do Banco BS2, em parceria com o painel OpinionBox, mostra que 73% dos brasileiros bancarizados e que vivem na região Sudeste devem utilizar o Pix nas transações. Apesar de um bom número, a região fica abaixo de Centro-Oeste e Norte, que tiveram uma aceitação de 77% e 75%, respectivamente.

Assim como no Sul, por o serviço ser gratuito é a principal vantagem percebida no Pix pelo Sudeste: 60% dos entrevistados apontaram esse atributo. Na sequência, a possibilidade de fazer o pagamento rápido foi apontado por 58% como principal vantagem, seguido por 54% que preferem utilizar o meio de pagamento a qualquer hora do dia.

No Norte, assim como no Nordeste, a vantagem mais apontada foi a rapidez para fazer a transação (64% e 59%, respectivamente). Enquanto o Centro-Oeste priorizou as transações aos fins de semana (56%).

O estudo entrevistou pessoas acima de 18 anos, entre os dias 14 e 26 de outubro, sendo que 41% residem nas capitais, 25% região metropolitana e 34% no interior dos estados.

“Mesmo com uma novidade tão recente, percebemos a pronta aceitação da sociedade por essa tecnologia. Entendemos que as pessoas procuram por um novo meio de pagamento que acompanhe a agilidade, bem como a dinâmica do mundo atual. O Pix veio suprir essa necessidade, facilitar, agilizar e contribuir para, assim, otimizar o tempo das pessoas, de uma forma segura”, diz a vice-presidente do Banco BS2, Juliana Pentagna Guimarães.

A região Sudeste foi a que mais teve aceitação nas transações do Pix 

O Sudeste também é uma das regiões que menos se sente segura para utilizar a tecnologia. A frente apenas do Sul, com 62%, o Sudeste atingiu 63%. Ambos são os locais que a população menos se sente confortável para utilizar o novo meio de pagamento. No Centro-Oeste, Norte e Nordeste, o índice é de 68%.

Quando o assunto é escolha do meio de pagamento, os moradores do Sudeste já colocam o Pix como segundo principal meio de pagamento (24%), atrás somente do cartão de débito, com 27%. Todas as outras regiões também tiveram uma boa aceitação da nova tecnologia: 28% no Norte, 25% no Nordeste, 24% no Sudeste e 23% no Centro-Oeste. Outros meios de pagamento citados foram dinheiro, TED e DOC.

Além disso, a pesquisa mostra que a maioria das pessoas não pretende utilizar o meio de pagamento apenas para uma atividade específica.

Uso do pix

Cerca de 27% pretendem utilizar para entretenimento como pagamento de conta em um bar, restaurante ou padaria. Já 25% vão priorizar utilizar a tecnologia para a compra de eletrodomésticos, eletrônicos, livros e roupas. Outros 18% para pagar uma viagem à vista e até mesmo a aquisição de um veículo à vista (15%).

Além disso, o estudo também mostra que o Sudeste, ao lado do Sul, é a região que menos havia realizado o cadastro de chaves. Com 49%, as duas regiões lideram o ranking, seguidas por 42% no Centro-Oeste e 41% no Norte e Nordeste.

“Esses dados reforçam que o Pix é um meio de pagamento que deve se perpetuar em pouco tempo, mas ainda há espaço. Por mais que o Banco Central e os próprios bancos tenham investido em informação, ainda vemos oportunidade de atuação, seja para ampliar o conhecimento e a aderência ao sistema, seja no desenvolvimento de outros produtos dentro da plataforma Pix“, completa Juliana.

No caso das chaves Pix, os moradores do Sudeste, assim como do Sul, são os que mais pretendem usar o QR Code, com 22%. O CPF deve ser utilizado por 53% das pessoas. Em compensação, também empatada com o Sul, a região é a que menos utilizará o e-mail, com 10%, em relação a outras locais do país.

 

Volume transacionado pelo Pix na primeira semana atinge R$ 9,3 bilhões 

4 dúvidas e respostas para usar o PIX na sua farmácia 

Fonte: Banco BS2

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário