Brasil registra 1.726 mortes em 24 horas e bate novo recorde na pandemia

País contabilizou 10.647.845 casos e 257.562 óbitos por Covid-19 desde o início da pandemia. Casos e mortes apresentam tendência de alta

O país registrou 1.726 mortes pela Covid-19 nas últimas 24 horas – recorde desde o início da pandemia – chegando ao total de 257.562 óbitos desde seu começo.

Os dados foram consolidados consórcio de veículos de imprensa  que divulgou, assim, novo levantamento da situação da pandemia de coronavírus no Brasil a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, às 20h da última terça-feira (2).

 Com isso, a média móvel de mortes no Brasil nos últimos 7 dias chegou a 1.274.

A variação, então, foi de 23% em comparação à média de 14 dias atrás, indicando tendência de alta nos óbitos pela doença.

O número de mortes em 24 horas registrado no Brasil até ontem (2) é superior ao registrado preliminarmente nos Estados Unidos na segunda-feira (1º) e compilado, dessa maneira, nos principais painéis de monitoramento.

De acordo com a Johns Hopkins, os EUA tiveram 1.567 mortes.

O número é semelhante ao verificado pela plataforma Our World in Data, da Universidade de Oxford, que aponta 1.565 mortes no país. Os EUA somam, desde o início da pandemia, 515.985 óbitos.

Já são 40 dias seguidos com a média móvel de mortes acima da marca de 1 mil, 6 dias acima de 1,1 mil, e pelo terceiro dia a marca aparece acima de 1,2 mil. Foram quatro recordes seguidos de sábado até aqui.

Veja a sequência da última semana na média móvel de mortes pela pandemia

  • Quarta-feira (24): 1.129 (recorde)
  • Quinta-feira (25): 1.150 (recorde)
  • Sexta-feira (26): 1.148
  • Sábado (27): 1.180 (recorde)
  • Domingo (28): 1.208 (recorde)
  • Segunda-feira (1º): 1.223 (recorde)
  • Terça-feira (2): 1.726 (recorde)

 

Contudo, em casos confirmados, desde o começo da pandemia 10.647.845 brasileiros já tiveram ou têm o novo coronavírus, com 58.237 desses confirmados no último dia.

Assim, a média móvel nos últimos 7 dias foi de 55.318 novos diagnósticos por dia.

Isso representa, então, uma variação de 22% em relação aos casos registrados em duas semanas, o que indica, contudo, uma tendência de alta também nos diagnósticos.

Quinze estados e o Distrito Federal estão com alta nas mortes: PR, RS, SC, DF, SP, AC, PA, TO, AL, BA, CE, MA, PB, PI, RN e SE.

Brasil, 2 de março

  • Total de mortes: 257.562
  • Registro de mortes em 24 horas: 1.726
  • Média de novas mortes nos últimos 7 dias: 1.274 (variação em 14 dias: +23%)
  • Total de casos confirmados: 10.647.845
  • Registro de casos confirmados em 24 horas: 58.237
  • Média de novos casos nos últimos 7 dias: 55.318 por dia (variação em 14 dias: +22%)

 

  • Subindo (15 estados mais o Distrito Federal): PR, RS, SC, SP, DF, AC, PA, TO, AL, BA, CE, MA, PB, PI, RN e SE
  • Em estabilidade (8 estados): ES, MG, RJ, GO, MS, MT, RO e PE
  • Em queda (3 estados): AM, AP e RR

 

Essa comparação leva em conta a média de mortes nos últimos 7 dias até a publicação deste balanço em relação à média registrada duas semanas atrás.

No entanto, vale ressaltar que há estados em que o baixo número médio de óbitos pode levar, então, a grandes variações percentuais.

Os dados de médias móveis são, no entanto, em geral, em números decimais e arredondados para facilitar a apresentação dos dados.

Vacinação

Balanço da vacinação contra Covid-19 desta terça-feira (2) aponta que 7.106.147 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19, segundo dados divulgados até as 20h.

A saber, o número representa, então, 3,36% da população brasileira.

Mas a segunda dose já foi aplicada em 2.166.982 pessoas (1,02% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

Então, no total, 9.273.129 doses foram aplicadas em todo o país.

Brasil bate recorde de mortes por Covid-19 registradas nas últimas 24 horas: 1.582

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário