Alway lança campanha #MeninaAjudaMenina, pelo fim da Pobreza Menstrual no Brasil

Objetivo da campanha é abrir ainda mais espaço para a discussão sobre a falta de acesso à produtos de higiene durante o período menstrual

Always, marca da P&G de cuidado íntimo feminino, lança hoje a campanha #MeninaAjudaMenina, pelo Fim da Pobreza Menstrual.

A finalidade é buscar abrir ainda mais espaço para a discussão sobre a falta de acesso à produtos de higiene durante o período menstrual.

Além de também contribuir junto à sociedade para dar a todas a oportunidade de ter um futuro melhor.

Como parte de um compromisso de longo prazo pelo fim deste problema sério que impacta a vida de muitas brasileiras, Always também distribuirá até 1 milhão de absorventes para meninas sem acesso por meio de uma campanha compre e doe.

Os impactos da Pobreza Menstrual no Brasil

Para dar visibilidade sobre os impactos da Pobreza Menstrual, Always realizou uma pesquisa em parceria com a Toluna1.
Os resultados, que foram analisados pela pesquisadora e antropóloga, Mirian Goldenberg, mostram que a falta de dignidade na menstruação é um reflexo da desigualdade de gênero e é agravado pelo tabu em torno da menstruação.
Além disso, a pesquisa revela também que o índice de mulheres sem acesso à absorventes no Brasil ultrapassa bastante a estimativa global da Organização das Nações Unidas (ONU).

Principais descobertas da pesquisa

• Uma entre cada quatro jovens não se sente confortável nem mesmo em falar sobre a menstruação, e mais da metade (57%) das mulheres afirmaram que a primeira menstruação as deixou menos confiantes. A busca por informação na primeira menstruação vem quase que totalmente da mãe (79%), o que mostra o aspecto íntimo e privado.

O absorvente foi considerado pelas entrevistadas como um produto de primeira necessidade e, para elas, a falta de absorvente afeta a confiança feminina. Porém, mais de uma em cada quatro jovens (29%) revelou não ter tido dinheiro para comprar produtos higiênicos para o período menstrual em algum momento de suas vidas. Nas classes DE, esse índice é ainda maior (33%).

• A ONU estima que 1 em cada 10 meninas falte a escola durante a menstruação, e no Brasil esse índice é ainda pior. De acordo com a pesquisa, no Brasil, uma em cada quatro mulheres já faltou a aula por não poder comprar absorventes. Quase metade destas (48%) tentaram esconder que o motivo foi a falta de absorventes e 45% acredita que não ir à aula por falta de absorventes impactou negativamente o seu rendimento escolar.

Três em cada quatro afirmam que o período menstrual tem um impacto muito negativo na sua confiança pessoal. Para meninas que não tem acesso à absorventes, o impacto na confiança é ainda pior e cria um ciclo vicioso: ao faltar às aulas, elas ficam para trás nos trabalhos escolares, deixando de participar de atividades que ajudam a aumentar sua confiança e habilidades (35%, por exemplo, deixaram de praticar esportes e sentiram muita vergonha pela falta de produtos menstruais na escola) .

Com as limitações financeiras, mulheres recorrem a alternativas, como papel higiênico, roupas velhas ou toalha de papel. Entre as mulheres de classes mais baixas, tecidos ganham ainda mais importância como substituto. Esses métodos alternativos não são seguros para a saúde da mulher. Itens de higiene durante a menstruação são uma questão de necessidade básica, mas uma parcela da população brasileira não compreende que absorventes trazem dignidade e previnem doenças.

Campanha #MeninaAjudaMenina

Na nova campanha #MeninaAjudaMenina, assinada pela Integer\OutPromo, Always convida todas as meninas e mulheres a abraçarem a causa, dando, assim, a sua voz para ajudar a aumentar a conscientização sobre o problema.
Além disso, por meio da campanha compre e doe de Always, que vai de 01 até 30 de maio, ao comprar um pacote Always, as mulheres também estão doando absorvente para quem não tem acesso.

Para ajudar nessa  conscientização, a Always também lança um manifesto com a participação de suas embaixadoras Sabrina Sato, Thelma Assis, Gleici Damasceno e Maíra Azevedo trazendo dados sobre a temática.

A Pesquisa on-line encomendada por Always e realizada pela Toluna com 1124 mulheres entre 16 a 29 anos, de todas as classes e regiões do Brasil, entre os dias 20 de fevereiro à 06 de março de 2020.

  
Fonte: P&G
Foto: Shutterstock
Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário