fbpx

Probióticos aliviam síndrome do intestino irritável

O consumo de probióticos específicos proporciona alívio dos sintomas sem precisar de uma dieta tão restritiva

O uso de probióticos é indicado para aliviar os sintomas da Síndrome do Intestino Irritável, uma doença que chamamos de distúrbios funcionais que afetam o sistema digestório.

É uma condição que acarreta dor abdominal e alterações intestinais e não têm uma causa bem definida na literatura médica.

Alguns tipos dessa síndrome, todavia, sugerem sinais de inflamação de baixo grau persistente e alterações da microbiota.

Mas é sabido que se trata de uma herança genética, como esclarece a pediatra e gastroenterologista e presidente da Sociedade Goiana de Pediatria e preceptora da disciplina de Gastro-pediatria da Faculdade de Medicina da Pontifícia Universidade Católica (PUC) de Goiás, Marise Tófoli.

O estresse e a alimentação são poderosos gatilhos para o descontrole da doença.

Mas antigamente era preconizada a dieta mais restritiva, que tirava tudo que fermenta demais.

Como por exemplo, feijão, ervilha, leite e derivados, vários vegetais e frutas, refrigerantes, aveia…

Qualidade de vida

“Até que ponto trazemos benefício para a qualidade de vida do paciente?” argumenta a médica.

Além, claro, do risco do déficit nutricional que a pessoa pode desencadear.

A socialização de uma criança, no entanto, com uma dieta tão rígida e o dia-a-dia de um adulto que trabalha fora, por exemplo, se tornam extremamente complexos para o manejo diário.

Para evitar isso, a médica cita, dessa maneira, a suplementação com probióticos para melhorar a microbiota do paciente.

“O consumo de probióticos específicos têm trazido alívio dos sintomas sem precisar de uma dieta tão restritiva”, avalia.

Alta prevalência dos distúrbios do sistema digestivo

São várias as doenças que trazem grande prejuízo na qualidade de vida do indivíduo e que, dessa forma, são ligadas ao sistema digestivo.

E, em todas, o reequilíbrio da microbiota traz grandes benefícios.

O probiótico tem ação imunomodulatória e analgésica. De acordo com um estudo comparando a cepa probiótica Lactobacillus rhamnosus GG (LGG® de Culturelle®) e placebo (substância sem efeito terapêutico), o primeiro mostra diminuição da dor abdominal em vários casos.

Mesmo em casos de infecção por H. pyloriylori, a bactéria causadora de gastrite.

Que infecta 70% da população no Brasil, é possível verificar bons resultados no consumo dos probióticos.

Os pacientes podem ter sintomas de indigestão, como dor, sensação de estômago cheio, enjoo, vômito e azia e os probióticos têm sido, portanto, estudados no tratamento no intuito de reduzir esses efeitos adversos e aumentar os índices de erradicação da bactéria.

Foto: Shutterstock

Fonte: Cellera Farma

Deixe um comentário