SP começa a produzir hoje 1 milhão de doses da vacina Butanvac

Previsão é que 18 milhões de doses estejam disponíveis na primeira quinzena de junho

O governo de São Paulo anunciou nesta quarta-feira (28), que começa a produzir ainda hoje o primeiro lote de 1 milhão de doses da Butanvac, vacina contra o coronavírus desenvolvida pelo Instituto Butantan.

De acordo com o governador João Doria, a expectativa, então, é que 18 milhões de doses estejam disponíveis ainda na primeira quinzena de junho e prontas para a distribuição.

A depender, então, do aval da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para os testes com o imunizante.

O presidente do Butantan, Dimas Covas, afirmou que a capacidade de produção pode chegar a até 40 milhões de doses da Butanvac no segundo semestre deste ano, além das outras 18 milhões previstas para até 15 de junho.

“Não dependemos em nada de importação e de licenciamento. Somos totalmente independentes. Poderemos atender o Brasil e até parte do mundo”, declarou.

Informações adicionais

Na última terça-feira (27), a Anvisa solicitou ao Instituto Butantan dados adicionais para avaliar a aprovação da Butanvac.

Em nota, o Butantan disse que “manterá contato com o órgão regulador para viabilizar os esclarecimentos necessários ao seguimento do processo de autorização dos estudos clínicos de fases 1 e 2 da Butanvac”.

 

Antecipação

O Butantan também antecipou para a próxima sexta-feira (30), a entrega do lote de 600 mil doses da Coronavac, prevista inicialmente para 3 de maio.

Covas afirmou ter pedido à Sinovac que aumentasse, então, o volume do próximo carregamento de três para seis mil litros.

Suficientes, então, para a produção de mais 10 milhões de vacinas.

Ele também alertou, contudo, que a segunda dose da vacina deve ser aplicada mesmo depois do prazo inicial de 28 dias caso ocorra atraso.

Vacina no ovo

A Butanvac é produzida a partir do cultivo de cepas do vírus Sars-CoV-2 em ovos de galinha embrionados.

Uma solução com o vírus inativada é colocada dentro do ovo que, antes, passa por uma inspeção com aplicação de luz.

Em seguida, ele precisa ficar na incubadora por cerca de três dias para a multiplicação viral.

Após o período, há o resfriamento do ovo e a coleta do líquido com o vírus concentrado e replicado, que ainda passa por processos de purificação, clarificação, filtração e, finalmente, envase.

O governo afirmou, contudo, já ter um lote inicial com 520 mil ovos. De acordo com Covas, serão entregues 30 lotes com esse quantitativo até o fim do ano. 

A produção da Butanvac neste semestre será feita em três lotes, cada um deles com seis milhões de doses da vacina.

De acordo com o calendário divulgado, o primeiro será entregue no próximo dia 18; o segundo, em 1º de junho; e o terceiro, em 15 de junho.

Fase de transição

O governo de São Paulo anunciou a prorrogação da “fase de transição” do Plano SP, entre a vermelha e a laranja, por mais uma semana, até o próximo dia 9.

Então, a partir do sábado, 1º, o horário de atendimento para serviço e comércio também será ampliado, com permissão de funcionamento das 6h às 20h.

Com a nova flexibilização, a “fase de transição” se aproxima ainda mais das fases laranja e amarela do Plano SP.

Onde que permite, por exemplo, a abertura dos mesmos setores pelo mesmo horário, mas dependem de índices melhores da pandemia para serem oficialmente implementadas.

A principal diferença agora é na possibilidade de regionalização das medidas e na orientação da capacidade máxima de atendimento.

A fase atual permite apenas 25% da lotação do espaço, enquanto as outras admitem atendimento a 40%.  

Dados de países avançados na vacinação contra a Covid mostram queda de internações e mortes 

Fonte: Estadão

Foto: Jornal de Brasília / Miguel Schincariol / AFP

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário