Veja as propostas para a saúde dos candidatos a prefeito de São Paulo

No próximo 29 acontecerá o segundo turno das eleições para prefeito de São Paulo, disputado entre os candidatos Covas e Boulos. Confira o plano para a área da saúde de cada um

O segundo turno das eleições para prefeito de São Paulo será disputado entre os candidatos Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (PSOL). Confira as propostas dos dois candidatos para a saúde da cidade.

Guilherme Boulos

Na saúde, o plano de governo de Boulos propõe combater “combater a desigualdade na saúde e no combate à Covid-19“. O texto fala em intensificar os teleatendimentos, garantir testes para toda a população e reverter as mudanças feitas na Coordenadoria de Vigilância em Saúde (Covisa).

Uma das propostas é criar um sistema de encaminhamento na Atenção Básica de acordo com níveis de prioridade. No caso de prioridade 1, atendimento em 48h, prioridade 2, em até duas semanas, e 3, em até um mês. O texto também fala em reabrir hospitais fechados, universalizar o atendimento odontológico e ampliar os CAPS-II Adultos, AD e IJ existentes.

Na administração dos equipamentos de saúde, a campanha promete “construir uma Gestão Popular do SUS” e reverter a privatização da gestão ligada aos serviços de saúde. Boulos também promete construir uma Faculdade de Medicina Municipal para a “formação de médicos oriundos da periferia de São Paulo”.

Veja o plano completo de Guilherme Boulos.

Bruno Covas

Covas dividiu seu plano de governo em “compromissos programáticos”, e o dedicado a saúde se chama “Toda vida importa” e tem duas páginas. Antes de apresentar as propostas, o plano diz que a gestão promoveu “a maior expansão da rede pública de saúde das últimas décadas”, com a entrega de oito novos hospitais, quase mil novos leitos permanentes e, ao todo, a entrega de 51 novas unidades de saúde nos últimos quatro anos.

O texto diz que a rede pública deve ser preparada para os desafios futuros que a pandemia vai gerar, com “a ampliação das áreas de nefrologia, saúde mental, o combate a comorbidades, como a obesidade, e a atenção especial às mulheres, à primeira infância, à prevenção e ao tratamento de usuários de drogas”.

O plano diz que os novos hospitais de Parelheiros e Brasilândia entrarão em “pleno funcionamento”, com a oferta de mais de 630 leitos, que o Hospital Sorocabana será ampliado e que, em parceria com o BID, o Programa Avança Saúde vai investir R$ 800 milhões em 150 equipamentos de saúde até 2025, incluindo mais seis novas UPAs. A proposta ainda diz que irá ampliar os serviços de saúde mental com a telemedicina, e que 60 mil profissionais serão treinados para atender a população à distância.

Veja o plano completo de Bruno Covas aqui.

Fonte: G1

Foto: Shutterstock

Indique para um amigo ... Share on Facebook
Facebook
Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email
Print this page
Print

Deixe um comentário