Ibuprofeno pode prevenir Alzheimer em alguns casos

Anti-inflamatório poderia diminuir acúmulo de Abeta 42

Segundo um estudo publicado no “Journal of Alzheimer’s Disease”, tomar ibuprofeno diariamente pode prevenir o Alzheimer. O medicamento seria capaz de diminuir a inflamação cerebral causada pelo acúmulo de proteínas beta amiloide, um sinal precoce da patologia.

As causas da doença ainda são desconhecidas, mas já se sabe que o acúmulo de placas das proteínas tau e beta-amiloide no cérebro desempenham um papel importante na formação do Alzheimer. De acordo com o estudo, o anti-inflamatório seria capaz de prevenir o desenvolvimento do Alzheimer em pessoas com altos níveis de beta-amiloide peptídica 42 (Abeta 42).

Pesquisas anteriores sugerem que depósitos de Abeta 42 no cérebro causam uma inflamação, destruindo os neurônios e podendo levar à demência. Porém, a medida só seria eficaz nos casos de pacientes com maior acúmulo da substância, ou seja, com um risco aumentado de desenvolvimento da doença.

Um teste diagnóstico desenvolvido pela mesma equipe descobriu que um simples teste de saliva pode identificar os altos níveis de Abeta 42 e indicar pessoas com maior risco de desenvolver Alzheimer.

“O que aprendemos com nossa pesquisa é que as pessoas que estão em risco de desenvolver Alzheimer exibem os mesmos níveis elevados de Abeta 42 que as pessoas que já a possuem. Além disso, elas exibem esses níveis elevados durante toda a vida e, teoricamente, poderiam ser testadas a qualquer momento”, explica o neurocientista e CEO da Aurin Biotech, Patrick McGeer.

Fonte: Terra
Foto: Shutterstock

Sobre o autor

Guia da Farmácia

Premiado pela Anatec na categoria de mídia segmentada do ano, o Guia da Farmácia é hoje a publicação mais conhecida e lembrada pelos profissionais do varejo farmacêutico. Seu conteúdo diferenciado traz informações sobre os principais assuntos, produtos, empresas, tendências e eventos que permeiam o setor, além de Suplementos Especiais temáticos e da Lista de Preços mais completa do mercado.