fbpx

Sanofi anuncia tratamento inovador para dermatite atópica

Casos de moderados a graves fazem brasileiros faltarem no trabalho cerca de 21 dias por ano

Pacientes adultos com dermatite atópica moderada a grave cuja doença não é adequadamente controlada com tratamentos tópicos ou quando estes tratamentos não são aconselhados passam a contar agora com uma nova opção de tratamento da doença. Com comercialização no Brasil pela Sanofi, Dupixent® (dupilumabe) inaugura uma nova geração de tratamentos biológicos para a dermatite atópica.

A dermatite atópica é uma doença inflamatória crônica com sintomas frequentemente aparentes como lesões na pele. Os casos moderados a graves da doença são caracterizados por erupções cutâneas que geralmente cobrem grande parte do corpo e podem incluir coceira intensa e persistente e ressecamento da pele, rachaduras, vermelhidão, crostas e formação de líquido. A coceira é um dos sintomas mais incômodos para os pacientes e pode ser debilitante. Além disso, nos casos moderados a graves, a doença impacta aspectos da qualidade de vida dos pacientes, como sono, ansiedade e depressão.

Estudos científicos recentes revelaram que pacientes com dermatite atópica têm maior quantidade das interleucinas 4 e 13 (IL 4 e IL 13), que são duas proteínas responsáveis por iniciar o processo inflamatório que ocorre nas camadas mais profundas da pele, provocando os sintomas da doença.

Dupixent® é um anticorpo monoclonal humano desenvolvido especificamente para inibir a sinalização excessiva de duas proteínas-chave, IL-4 e IL-13, que são consideradas as principais causas da inflamação subjacente persistente na dermatite atópica. O medicamento é administrado por meio de injeção subcutânea; pode ser aplicado pelo próprio paciente seguindo as orientações do médico e da bula do produto; e também pode ser usado com ou sem uso concomitante de corticoides.

Pesquisa: pacientes com dermatite atópica moderada a grave perdem até um mês de trabalho no ano por conta da dermatite atópica

Pacientes com dermatite atópica moderada a grave faltam no trabalho cerca de 21 dias por ano devido aos sintomas da doença, contabilizando um mês de trabalho. Esse é um dos achados de uma pesquisa inédita realizada entre os dias 23 de julho e 16 de agosto de 2018 pelo Instituto Ipsos com 199 pacientes com dermatite atópica moderada a grave em 11 cidades brasileiras (Manaus, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba, Porto Alegre, Brasília e Goiânia), com erro amostral de 6,9 p.p. O levantamento foi feito a pedido da Sanofi em parceria com a Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) e com a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Um número que chama a atenção é a quantidade de dias que os pacientes são impactados pelos sintomas da dermatite atópica: por 90 dias ao ano, em média, o que equivale a um quarto do período. Ainda de acordo com o estudo, 100% dos pacientes com dermatite atópica moderada a grave tiveram uma crise nos últimos cinco anos e 24% têm crises mensais decorrentes da doença, sendo a coceira o sintoma que mais incomoda.

O estudo indica, ainda, que 6% dos pacientes com dermatite atópica moderada a grave já precisaram ser internados por conta da doença. Ainda de acordo com o levantamento, as internações levam, em média, nove dias e em 33% dos casos o motivo da internação é a presença de quadro infeccioso.

No caso das internações, 50% dos casos foram pagos por convênio médico dos pacientes. Já as internações pelo Sistema Único de Saúde (SUS) representaram 42% dos casos, enquanto o índice de internações particulares foi de 8%.

Outro dado alarmante é que, de acordo com o levantamento, 35% dos pacientes com dermatite atópica já sofreram algum tipo de preconceito. A discriminação ocorre em ambientes variados, como no transporte coletivo (49%), no local de trabalho (44%) e em escolas ou faculdades (34%). Cerca de 12% dos pacientes com dermatite atópica moderada a grave já perderam a vontade de viver em decorrência da doença, o equivalente a um em cada 10 entrevistados.

Sobre o tratamento, a pesquisa revelou que uma a cada sete pessoas usa corticoides por cerca de um ano ou mais. Mesmo assim 52% dos entrevistados não costumam acompanhar a dermatite atópica com um especialista. Já em relação ao uso de imunossupressores, a pesquisa mostrou que 11% dos entrevistados fazem uso deste tipo de medicamento atualmente.

Fonte: Guia da Farmácia
Foto: Shutterstock

Anvisa aprova biossimilar da Amgen para doenças inflamatórias

22 Comentários

  1. Avatar
    Heverton Ribeiro em

    Boa Noite, me chamo Heverton Ribeiro, tenho 25 anos, sofro com dermatite atópica grave desde os 4 meses de idade, já fiz inúmeros tratamentos diferentes em vários lugares do Brasil, e nenhum deu certo, tem dias que a crise ataca nem saio de dentro do meu quarto, e também perco muitos dias de trabalho, tenho que pegar atestado, gostaria de saber se consigo receber algum benefício, gasto muito dinheiro com cremes hidratantes, remédios e médicos também.

    • Avatar

      Bom dia, Heverton !
      me chamo Juliano, sofro da mesma doença crônica que você, sou do Rio Grande do Sul, também já fui em vários especialistas e nada, com 3 meses de idade começou, hoje tenho 26 anos, só piora, nada melhora além de uma injeção injetada de corticoide (auxiliada por médicos).
      lhe passo meu whats 53 99182 7426 para trocarmos informações sobre isso, gostaria de saber mais de medicamentos. Acho interessante essa troca de informações para estarmos sempre atento. Grande abraço.

    • Avatar
      Roberto Santana dos Santos em

      Gente não existe milagre infelizmente com certeza o post milagroso é só mais um querendo lucrar com o sofrimento alheio tenho dermatite já tentei de tudo loratadina e outros só alivia com cortisona mas devido ao uso já tive catarata e agora estou tomando um remédio que aje no sistema imunológico e depois vamos tentar essa nova injeção que é um medicamento de alto custo

  2. Avatar
    Ana Marques em

    Boa noite.
    Também tenho em casa uma pessoa com estado bem critico de demartite atopica e nenhum tratamento convencional resolve. Por favor como conseguimos este medicamento?

  3. Avatar
    Marta Maiocchi em

    Meu filho sofre de dermatite atópica, desde a mais tenra infância.
    Gostaria muito de saber como faço p conseguir a medicação Dupixent.
    Me interessei.
    Sei que é cara.
    O SUS não fornece? Como se consegue comprar?

  4. Avatar

    Oi eu descobri que também tenho essa doença é minha médica me passou um medicamento chamado LOROTADINA vc toma 1 comprimido de manhã e um a noite faz um tratamento de um ano.

  5. Avatar
    Jr Silva em

    Dermatite???Eu encontrei a solução para a minha.Era grave,chegou a um ponto eu que os medicamentos não controlavam mais.Era como se a superfície da pele estivesse apodrecendo,coçava e então saia uma camada de pele e começava a sangrar,sangrava bastante.Ficava uma ferida bem feia,com uma área vermelha bem grande ao redor.Essa área aumentava continaumente. Então descobri como curar.Desapareceu como que por mágica,e nunca mais voltou.Já faz mais de um ano que não uso nenhum medicamento.

    • Avatar
      Silmarcia Costa em

      Pelo amor de Deus, me manda o contato do teu médico, ou me manda os nomes dos medicamentos que falo com meu médico. Por favor!!!!! Acho que já estou começando a ter depressão.

    • Avatar
      Rosangela em

      Qual foi a sua solução ? Diga então maldade colocar no comentário e não dizer o que fez para cura-lo

    • Avatar
      Jussara Gomes em

      Então compartilhe com o pessoal, pois todos aqui procuram uma solução.
      Fale do seu tratamento, dos medicamentos, ou indique sei médico.
      Obrigada

  6. Avatar
    Ana Marques em

    Boa noite.
    Também tenho em casa uma pessoa com estado bem critico de demartite atopica e nenhum tratamento convencional resolve. Por favor como conseguimos este medicamento?

  7. Avatar
    Marta Maiocchi em

    Meu filho sofre de dermatite atópica, desde a mais tenra infância.
    Gostaria muito de saber como faço p conseguir a medicação Dupixent.
    Me interessei.
    Sei que é cara.
    O SUS não fornece? Como se consegue comprar?

  8. Avatar
    Heverton Ribeiro em

    Boa Noite, me chamo Heverton Ribeiro, tenho 25 anos, sofro com dermatite atópica grave desde os 4 meses de idade, já fiz inúmeros tratamentos diferentes em vários lugares do Brasil, e nenhum deu certo, tem dias que a crise ataca nem saio de dentro do meu quarto, e também perco muitos dias de trabalho, tenho que pegar atestado, gostaria de saber se consigo receber algum benefício, gasto muito dinheiro com cremes hidratantes, remédios e médicos também.

    • Avatar

      Bom dia, Heverton !
      me chamo Juliano, sofro da mesma doença crônica que você, sou do Rio Grande do Sul, também já fui em vários especialistas e nada, com 3 meses de idade começou, hoje tenho 26 anos, só piora, nada melhora além de uma injeção injetada de corticoide (auxiliada por médicos).
      lhe passo meu whats 53 99182 7426 para trocarmos informações sobre isso, gostaria de saber mais de medicamentos. Acho interessante essa troca de informações para estarmos sempre atento. Grande abraço.

      • Avatar
        Cínira Feroldi em

        8preciso de uma cura Pará meu netinho de 4 ano pois sofro muito de vê ele.com tanta coceira

  9. Avatar

    Oi eu descobri que também tenho essa doença é minha médica me passou um medicamento chamado LOROTADINA vc toma 1 comprimido de manhã e um a noite faz um tratamento de um ano.

  10. Avatar
    Adriano Barbosa em

    Sanofi, quanto a este novo tratamento, qual custo e teria algum opção de redução de custo através de alguma programa social da empresa.
    Dermatite moderada pode ser aplicado este novo tratamento?

  11. Avatar

    Minha filha tem D.A participo de um grupo no whats muito bom e sigo a Adm que da várias dicas!!!
    Não vou passar meu cel, mais se alguém quiser me chamar no direct do insta emily_viva e passar o cel eu mando no grupo para add vocês!!! É muito bom Pq trocamos muitas dicas.

  12. Avatar

    Caros,
    A minha filha de 15 anos tem dermatite atópica e nos momentos de crises intensas, as lesões se alastram por todo o corpo. E esse quadro é desanimador mesmo.
    Desde pequena, corremos atras de vários especialistas concomitantes: nutricionista, dermatologistas, terapia, acupuntura, médicos antroposófico…. Enfim, sei do desespero que dá de buscar uma solução.
    Tem crises que só por Deus.
    Minha experiência diz que nunca devemos desistir de obter uma solução ou resultado. Qualquer melhora é significante e com calma nos faz mais fortes e conseguimos observar com mais clareza qual o fator que agrava a coceira ou desencadeia crises mais severas.
    Notei que vários fatores como: quando troquei o sabão liquido para lavar roupas. Então, já fiquei de olho no contato de inúmeros produtos químicos. Infelizmente é por tentativa e erro.
    Corantes também é um caos para minha filha e, infelizmente, até brincos ou correntes (ouro, prata ou bijuterias) que faz ter contato direto com a pele.

    Deixo o grupo de apoio que nos ajuda muito quando estamos muito tristes. Esse grupo é um oxigênio e aprendemos com exemplos e a troca de experiencia nos faz ver que não estamos sozinhos

    http://www.aada.org.br/

    Abraços a todos

Deixe um comentário

%d blogueiros gostam disto: